Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

CA: Orçamento do metro superior a 51 mil milhões de patacas
Quinta, 13/09/2018
O investimento público em todas as linhas do metro pode ser calculado em 51,2 mil milhões de patacas. A estimativa é feita pelo Comissariado de Auditoria (CA), num relatório divulgado hoje e que questiona a viabilidade económica do projecto.

O Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT) continua a alegar que “não é possível determinar o custo do projecto global”, mas o CA “tem dúvidas sobre se a falta das referidas condições impede realmente o cálculo da estima do custo do investimento”, pode ler-se no documento.

O GIT entende que só em relação à linha da Taipa e à ligação à Barra pode avançar com orçamentos, mas o projecto inclui onze traçados, definidos ainda em 2016.

O segmento mais caro é o da linha Leste, que vai fazer a ligação entre a Zona A dos Novos Aterros e o Pac On. De acordo com as estimativas do CA, deve implicar um investimento de 20,9 mil milhões de patacas.

O ramal de ligação a Zhuhai, através da ilha artificial da ‘ponte em Y’, tem um custo estimado em 1,7 mil milhões de patacas. Já a previsão de gastos para a linha de Seac Pai Van pode ser calculada em 2,4 mil milhões de patacas.

A Auditoria fez também uma estimativa para a linha da península de Macau, com o traçado ainda em estudo: 6,2 mil milhões de patacas.

Para o CA, apenas nos casos das linhas do Porto Interior e Coloane e das extensões do Cotai e da Ilha da Montanha faltam dados para fazer previsões de custos.

Já o GIT sublinha que, além da Taipa e da Estação da Barra, “as restantes linhas foram apenas sujeitas a um cálculo de custo aproximado”, uma vez que os traçados estão ainda por confirmar e não há datas previstas para a entrega das obras. E insiste: “Tendo em consideração que é possível que as informações financeiras dos projectos de estudos já não estejam actualizadas, o GIT irá actualizá-las na fase de aprovação do projecto (...) e dará início à elaboração da estimativa do custo do projecto (...) quando cada uma das linhas (...) possuir as condições fundamentais”.

Em resposta aos pedidos do CA, o GIT “não foi capaz de fornecer qualquer informação em relação à ligação da linha da Taipa à Estação da Barra”. No entanto, indica-se no relatório, a proposta de Orçamento para 2018, entregue aos Serviços de Finanças, referia o “valor orçamentado de todo o empreendimento”.

O GIT, segundo CA, também previu um custo de construção de 500 milhões de patacas por quilómetro.

Sónia Nunes