Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Chui Sai Cheong: “Ho Iat Seng tem condições para ser CE”
Segunda, 10/09/2018
O vice-presidente da Assembleia Legislativa, Chui Sai Cheong, defendeu hoje que Ho Iat Seng tem perfil para ser Chefe do Executivo.

“O presidente [da Assembleia Legislativa] já reúne todas as condições para ser Chefe do Executivo. Já completou 40 anos de idade e também tem capacidade política. Mas cabe ao presidente decidir”, defendeu Chui Sai Cheong, na habitual conferência de imprensa de balanço à actividade dos deputados.

A um ano das eleições, Ho Iat Seng é um dos nomes avançados para liderar o próximo Governo, mas o empresário continua sem se alongar em comentários sobre o alegado interesse sem suceder a Chui Sai On, que termina o segundo e último mandato em Dezembro de 2019.

“Por enquanto ainda sou presidente da AL. Se alguém vai despedir-me? Não sei. Se alguém vai excluir-me? Não sei. Se vou ver o meu mandato suspenso? Não sei. Por enquanto, ainda sou o presidente da AL. Não quero que haja nenhuma confusão”, afirmou Ho Iat Seng, questionado várias vezes pelos jornalistas sobre uma eventual candidatura.

A confirmar-se que Ho – o único membro de Macau no Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional – é o próximo Chefe do Executivo, os deputados vão ter de eleger um novo presidente.

Chui Sai Cheong poderá ser a escolha. Deputado há 19 anos e número dois do hemiciclo desde Outubro, faz parte da Mesa da AL desde 2009, no mesmo ano em que o irmão, Chui Sai On, foi eleito Chefe do Executivo.

Chui Sai Cheong foi eleito para segundo secretário, um lugar até então ocupado por Leonel Alves, que deixou de fazer parte da Mesa, tendo acabado por abandonar a AL no ano passado.

Confrontado com a possibilidade de suceder a Ho Iat Seng no cargo, Chui garante que “nunca” pensou em ser presidente AL.

Caso Ho Iat Seng venha a candidatar-se, a lei eleitoral do Chefe do Executivo estabelece que os deputados, “quando se candidatarem à eleição do Chefe do Executivo, devem suspender o exercício das suas funções desde a data da sua admissão definitiva como candidatos até à data da publicação do resultado da eleição do Chefe do Executivo”.

Ainda de acordo com lei eleitoral, em caso de vitória, “considera-se perdida a qualidade de deputado” a partir da tomada de posse.

Questionado sobre se um deputado deve manter o mandato até tomar posse como Chefe do Executivo ou deixar a Assembleia Legislativa assim que for eleito, Ho Iat Seng disse que é uma questão a ser “estudada” pelos juristas.

Segundo do Estado dos Deputados, caso seja aberta uma vaga durante a legislatura, há eleições suplementares – tal como aconteceu já em 1999, quando Edmund Ho deixou a AL para ser Chefe do Executivo, tendo sido substituído por Chui Sai Cheong.

Sónia Nunes