Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Estudo: Chineses que ganham no jogo mais propensos a voltar
Sábado, 08/09/2018
Os visitantes chineses que ganham dinheiro nos casinos, e os que conseguem recuperar o valor apostado, têm mais tendência a voltar a Macau do que os que perdem no jogo.

Esta é uma das conclusões de um estudo que analisou as intenções dos turistas da China, de Hong Kong e de Taiwan, de voltarem ao território no prazo de um ano.

O estudo teve como objectivo apurar o que pesa na intenção dos turistas chineses de fazerem nova visita a Macau. Entre estes factores estão o comportamento de jogo dos visitantes e a satisfação com o alojamento.

Os turistas que vêm a Macau sem definirem um tecto para o que vão apostar nos casinos têm mais tendência a voltar. Uma das explicações possíveis, de acordo com o estudo, é que estes visitantes alimentam a expectativa de ganharem dinheiro numa próxima visita.

O estudo, publicado em Agosto, foi conduzido por dois académicos de Hong Kong – Sunny Sun e Rob Law –, e também por Davis Fong, deputado e director do Instituto para o Estudo do Jogo Comercial da Universidade de Macau.

Teve por base 562 inquéritos a turistas chineses nas fronteiras de Macau. Destes, 65 por cento dos inquiridos eram do interior da China, outros 27 por cento de Hong Kong, e os de Taiwan 2,8 por cento. Outros 5,2 por cento não têm destino de origem especificado, de acordo com o estudo. Mais de 75 por cento dos inquiridos tinha entre 25 e 44 anos.

Entre as conclusões está a ideia de que os chineses com idades entre os 30 e 34 anos que vêm a Macau para jogar são mais propensos a voltar do noutras faixas etárias.
O estudo sugere que Macau deve manter este mercado alvo. Além disso, propõe o uso das redes sociais para tentar atrair outros grupos etários também interessados em jogar.

Menos de 45 por cento dos inquiridos tinha educação superior e mais de 50 por cento tinha um rendimento mensal entre 8 mil e 15 mil patacas. Outros 30 por cento auferiam entre 15 mil e 40 mil patacas por mês. Cerca de 15 por cento estavam na fasquia das mais de 80 mil patacas.

Outro dado é que os turistas com rendimentos médios têm mais probabilidade de voltar a Macau, comparando com os que têm salários muito altos ou mais baixos.

Já os que ficaram hospedados em sítios sugeridos por familiares ou amigos ou incluídos em pacotes turísticos, têm menos interesse noutra visita do que quando sao os proprios a escolher o hotel.

Fátima Valente