Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

CCAC: proprietários do Pearl Horizon aceitam troca de casa
Quarta, 29/08/2018
A maioria dos proprietários do Pearl Horizon aceita o plano de habitação para troca do Governo e está disposta a comprar um apartamento no projecto pensado para o terreno na Areia Preta, onde estava a ser construído o empreendimento de luxo.

A informação foi avançada à TDM – Rádio Macau pelo director dos Serviços de Provedoria de Justiça, Lam Chi Long, um dos responsáveis pelo programa de habitação temporária e para troca, em consulta pública.

“No geral, os proprietários do Pearl Horizon aceitam este programa. Mas o presidente da Associação de Proprietários não”, distingue Lam Chi Long, ao defender que a decisão é individual. “Aceitar ou não depende da vontade dos proprietários. Se entenderem que este programa é razoável vão comprar as habitações para troca”, frisa.

O preço das fracções vai ser decidido pelo Chefe do Executivo, tal como acontece em relação à habitação económica, estando ainda por esclarecer se o Governo vai ter como referência o valor das primeiras ou das últimas aquisições.

Os pequenos investidores do Pearl Horizon são os primeiros destinatários deste programa, que o Governo insere a num projecto amplo de renovação urbana, ainda por definir.

A ideia é oferecer alternativas ao pagamento de uma indemnização aos moradores afectados pelas demolições.
O arrendamento subsidiado é uma das medidas previstas, nos casos em que os proprietários têm a hipótese de voltar a morar no prédio, depois de reconstruído. Nesta fase de consulta pública, são muitas as perguntas sobre o valor do subsídio da renda e a capacidade financeira dos moradores dos bairros antigos para arrendar uma casa aos preços de mercado.

Lam Chi Long reitera que a empresa pública, responsável pela renovação urbana, vai ser justa: “A sociedade terá de pagar um subsídio suficiente, caso contrário o proprietário da fracção antiga não aceita. O pressuposto deste programa de renovação é ser atractivo e o proprietário confirmar que o subsídio é suficiente para encontrar uma habitação adequada para morar enquanto o prédio está a ser reconstruído”.

O plano em consulta pública exclui os moradores que são arrendatários.

Lam Chi Long falou à Rádio, depois de participar no programa “Fórum Macau” da Ou Mun Tin Tou.

Sónia Nunes