Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Hato: USJ reforça prevenção e termina obras em 2019
Quinta, 23/08/2018
Um ano depois do Hato, as obras de recuperação da Universidade de São José ainda decorrem. Só deverão ficar concluídas no início de 2019, em pleno segundo ano de operação do novo campus na Ilha Verde, mas o reitor, Peter Stilwell, está confiante no reforço da prevenção.

“Nós, evidentemente, aprendemos com o que aconteceu. (...) Julgo que neste momento, as coisas estão acauteladas. Mas pelo sim, pelo não, há certos serviços que têm que estar instalados na cave, ligações de electricidade, máquinas, etc, e pedimos à construtora que está a trabalhar connosco agora –nos melhoramentos, já não nas reparações –, para instalarem portas à prova de água”, afirmou à TDM- Rádio Macau numa visita recente ao campus.

As portas contra as cheias já foram instaladas na entrada da garagem – o ponto mais baixo de acesso no campus. “Haverá sectores na cave que ficarão blindados contra cheias e contra fogos. Protegem-nos as partes essenciais para o funcionamento do campus”, explicou.

Aquando da passagem do Hato, a 23 de Agosto de 2017, a USJ preparava o arranque do primeiro ano lectivo no novo campus.

“Acima do piso térreo, o campus resistiu bastante bem. Nem uma única árvore arrancada nos jardins dos telhados", recordou. Peter Stilwell considera que para isso terá contribuido a elevação da entrada do campus, uma alteração que diz ter sido introduzida no projecto a pedido do anterior bispo de Macau, D. José Lai.

O pior foi a cave. Equipada com pavilhão desportivo e garagem ficou com água pela altura do sistema de ventilação.

Era também na cave que estava ainda encaixotada a biblioteca do Instituto Ricci, depois da mudança das instalações do Tap Seac. Com as cheias perdeu-se todo o acervo do Instituto Ricci: cerca de 25 mil livros.

As inundações provocadas pelo tufão causaram prejuízos na USJ avaliados em 100 milhões de patacas. A reconstrução tem sido maioritariamente suportada pelo Governo, pelos seguros e também pela fundação da família do magnata dos casinos Sheldon Adelson.

Só em livros, os prejuízos foram na ordem dos 15 milhões de patacas, estimou no ano passado o reitor. Um valor que inclui os 25 mil livros do Instituto Ricci e outros três mil da USJ.

Para terminar as obras falta, entre outros, concluir a reparação dos elevadores. As obras da cave estão a ser ultimadas. Na semana passada, durante a visita da TDM-Radio Macau, o chão da garagem estava pintado de fresco. O mesmo acontecia na sala onde estavam os livros do Instituto Ricci, e que estava pensada para armazém da biblioteca da universidade. Esse espaço vai ser agora usado como sala multiusos.

Fátima Valente