Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

CEM: Elevar postos de transformação resolve inundações
Terça, 21/08/2018
A Companhia de Electricidade de Macau (CEM) diz que “está a planear proceder à recolocação de alguns postos de transformação perto do Porto Interior para níveis superiores”, medida que a empresa considera que “resolve os problemas de inundações a longo prazo”, bem como “melhora a capacidade da rede eléctrica nas zonas mais antigas da cidade”.

O resultado do plano da CEM é defendido num comunicado distribuído, hoje, numa apresentação feita à comunicação social sobre as medidas que têm sido implementadas no âmbito da prevenção contra cheias.

A eléctrica informou que tem vindo a tomar “com sucesso medidas de prevenção contra inundações nas zonas baixas da cidade, o que se espera venha a melhorar a resiliência a desastres em Macau”.

A CEM diz-se apostada em evitar que se repitam as falhas de energia de há um ano devido ao tufão Hato.

De acordo com Billy Chan, director de Transporte e Distribuição da CEM, “temos trabalhado arduamente em algumas propostas contra as inundações, mas os equipamentos e algumas instalações da rede foram construídos há muito tempo, ou seja, as exigências contra inundações não eram muito consideradas”.

O responsável explicou que, no futuro, vão sentir-se os efeitos da “revisão aos padrões para as instalações eléctricas nos edifícios em termos de protecção contra inundações”. Segundo Chan, “em termos simples, todas as instalações eléctricas serão colocadas num determinado nível e não serão afectadas por inundações. Mas isto é mais para os futuros edifícios”.

No que diz respeito ao que tem vindo a ser feito no último ano, a CEM aponta a “optimização da rede de média-tensão e elevação de equipamento eléctrico, bem como a instalação de barreiras contra inundações, reforço da cobertura da cablagem, instalação de sistemas de alarme de inundação e bombas de depósito nos postos de transformação”.

A CEM espera ainda que, futuramente, a estabilidade do sistema energético de Macau beneficie dos projectos de “larga escala” que estão previstos, como a construção de várias subestações e a terceira interligação à China, de onde vem cerca de 80 por cento da energia consumida em Macau.

“Outro projecto de infra-estrutura importante que irá ajudar a garantir um fornecimento de energia fiável”, lê-se ainda no comunicado, “são as novas unidades de geração de turbinas a gás planeada para ser construída na Central Térmica de Coloane”.

Segundo a CEM, este projecto responde ao aumento da procura de energia eléctrica e é mais “amigo do ambiente e eficiente”, bem como tenta resolver o “problema de envelhecimento sério das unidades de geração existentes”.

Depois da aprovação do projecto pelo Governo, a CEM lançou um concurso internacional em Dezembro de 2017, tendo fechado em Abril deste ano. A avaliação dos concorrentes, diz a empresa, ainda decorre.

“Quando as novas unidades de geração de turbinas a gás ficarem operacionais”, estima a CEM, “a produção de energia local irá fazer face em média a cerca de 30 por cento do total do consumo de energia, podendo aumentar até 50 por cento em caso de emergência”.

Hugo Pinto