Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

DSAT: Novos táxis por chamada têm de ser ecológicos
Quarta, 15/08/2018
Os 200 veículos a operar pela nova licença de exploração do serviço de táxis por chamada têm de ser híbridos ou de energia limpa. A informação foi avançada hoje pela Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, que já abriu concurso público para atribuir a segunda concessão, desde 2015.

Além de exigir uma frota composta em exclusivo por “veículos ecológicos”, a DSAT impõe ainda que os novos táxis por chamada “devem ter lotação de seis ou mais passageiros” e estar equipados com sistema de pagamento electrónico. A empresa a operar a futura licença especial “deve ainda satisfazer requisitos relativos ao número mínimo de veículos em operação” e de chamadas atendidas.

De acordo com um despacho do Chefe do Executivo, publicado na segunda-feira no Boletim Oficial, nova licença especial vai dar direito a explorar, no máximo, 200 táxis.

No comunicado divulgado hoje, a DSAT indica que, tal como aconteceu no último concurso, entram em funcionamento apenas 100 veículos. Os restantes começam a circular um ano após o início das operações.

O concurso público para a nova licença termina a 16 Outubro e os concorrentes devem ser “sociedades anónimas que têm por actividade principal o exercício de serviços de táxis”, com devem ter um capital social, integralmente realizado, de pelo menos dez milhões de patacas.

O último concurso foi em 2015, tendo sido ganho pela Companhia de Serviços de Rádio Táxi Macau, que opera 100 veículos.

Sónia Nunes