Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Lei Chan U defende estudo de mandarim, “a língua do país”
Segunda, 13/08/2018
O deputado Lei Chan U defendeu o estudo de mandarim por ser a “língua do país” e também porque “eleva a competitividade”. Apontou a crescente integração na China como um grande argumento para aprender a língua oficial chinesa.

Lei Chan U falou ele próprio em mandarim na Assembleia Legislativa.

“Sou de opinião que o mandarim é actualmente muito vulgar, pois todo o mundo está a aprender chinês e mandarim e, como Macau é parte integrante da China, não deve ficar atrás. Com a abertura da Ponte Hong Kong-Zhuhai- Macau e a apresentação do plano de desenvolvimento da Grande Baía, Macau vai acelerar o seu desenvolvimento para se integrar no grande desenvolvimento do país, por isso a ligação entre Macau e o Interior da China vai ser cada vez estreita”, afirmou.

“O mandarim é a língua do País, por isso, o seu conhecimento aprofundado vai aumentar a competitividade e disponibilizar muitas oportunidades às pessoas. Para os residentes que têm o idealismo e o objectivo de singrarem na vida profissional, em especial os jovens, é importante falar o mandarim fluentemente”, acrescentou.

Lei Chan U argumentou que o Governo tem impulsionado o ensino do mandarim desde a criação da Região Administrativa Especial de Macau. Também forneceu números, indicando que no último ano lectivo, 24% dos professores da disciplina de chinês leccionavam em mandarim.

No entanto, observou que “o Governo não vai tornar o mandarim como língua veicular de ensino” porque há diferentes opiniões na sociedade.

O deputado sugeriu ainda ao Governo para reforçar o número de docentes desta língua e para elevar o seu nível pedagógico, para que os alunos consigam falar mandarim fluentemente.

Fátima Valente