Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Criptomoeda: Coutinho terá investido 700 mil dólares de HK
Sábado, 11/08/2018
O deputado Pereira Coutinho investiu, alegadamente, um total de 700 mil dólares de Hong Kong no negócio de criptomoeda que envolve uma empresa de Hong Kong e que está a ser investigado pelas autoridades, avança a Macau News Agency (MNA). Um caso que terá lesado cerca de 60 investidores de Macau.

O negócio envolve um grupo de Hong Kong, que, segundo a MNA, constitui uma parceria entre as empresas Genesis Hong Kong Ltd. e Forger Tech.

A agência de notícias afirma ter consultado documentos relativos a alguns dos contratos.

Um dos contratos que terão sido assinados por Pereira Coutinho, conta a MNA, data de 18 de Março e diz respeito a um investimento de 500 mil dólares de Hong Kong na Forger CCMS, as operações de mining de criptomoeda da Forger. De acordo com a mesma notícia, o bónus relativo ao retorno estaria inicialmente fixado em 18 por cento, mas o número aparecerá riscado a caneta e substituído por uma taxa de 20 por cento, escreve a agência de notícias.

A MNA dá ainda conta de um segundo contrato que terá sido assinado por Pereira Coutinho, a 5 de Maio, com um investimento no valor de 200 mil dólares de Hong Kong.

A agência de notícias acrescenta ter contactado Pereira Coutinho, que se recusou a tecer comentários sobre o assunto.

Tal como já foi noticiado anteriormente, este negócio terá atraído vários investidores em Macau, cerca de 60 dos quais dizem ter sido lesados, por não terem recebido o retorno que lhes tinha sido prometido. Pelo menos uma sessão de promoção foi realizada na sede da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM), presidida por Pereira Coutinho. Entre os investidores que se dizem lesados estão a antiga secretária-geral adjunta do Fórum Macau Rita Santos – que é também presidente da assembleia-geral da ATFPM – e o filho, Frederico dos Santos Rosário. Os dois afirmaram ter reportado já o caso às autoridades.

Frederico dos Santos Rosário culpa o empresário de Hong Kong Dennis Lau pela alegada fraude, mas Dennis Lau, director da Genesis Hong Kong, tem uma versão diferente, como avançou na quinta-feira a TDM – Canal Macau. Em declarações à estação televisiva, o empresário acusa Frederico dos Santos Rosário de estar a mentir e diz ter já apresentado uma queixa contra ele junto das autoridades. Dennis Lau alega ao Canal Macau que Frederico dos Santos Rosário era accionista da empresa de Hong Kong – com uma participação de 10 por cento – e tinha luz verde para promover o negócio em Macau, mas acusa-o de ter modificado alguns contratos de modo a pagar juros mais altos, sem autorização.

“Enganou-nos de modo a pagarmos juros a mais às primeiras duas rondas de clientes. Os clientes das duas primeiras rondas são maioritariamente membros da família dele, incluindo a mãe, a mulher, a irmã e o marido da irmã, e também algumas pessoas que têm o mesmo apelido que o Frederico. Isso fez-nos suspeitar que estavam a tentar fazer alguma coisa. Denunciámo-lo à polícia, mas não posso dizer mais”, afirmou Dennis Lau na quinta-feira, em declarações ao Canal Macau. Segundo o Canal Macau, Frederico dos Santos Rosário e Rita Santos dizem, por seu lado, que entregaram o caso às autoridades e que não podem fazer comentários, alegando ainda que foram gravemente lesados.

Ontem, à TDM – Rádio Macau, a Polícia Judiciária (PJ) disse ter contactado 25 pessoas que alegam ter investido no negócio da criptomoeda- um investimento total de 9,2 milhões de dólares de Hong Kong. A PJ explicou que as aplicações individuais de dinheiro variam entre 10 mil e dois milhões de dólares de Hong Kong, acrescentando que chegaram ao contacto com estas pessoas através de “informação adquirida recentemente”.

Sofia Jesus