Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Yue-man Yeung: "Macau portou-se bem mas é preciso mais"
Sexta, 03/08/2018
A Região Administrativa Especial de Macau portou-se muito bem nos primeiros 20 anos de existência, mas agora é preciso pensar em novos rumos. É o que diz Yue-man Yeung, professor emérito de Geografia na Universidade Chinesa de Hong Kong.

Durante a Conferência Internacional sobre Gestão, Utilização e Desenvolvimento das Áreas Marítimas de Macau, o académico disse que Macau deve olhar para o que precisa. E o jogo deve manter-se fora da mesa de discussão sobre o que fazer com a agora extensa área marítima de Macau.

Em 2016, no âmbito da Estratégia de Desenvolvimento Urbano, que se estende até 2030, O Governo abriu a possibilidade para a criação de uma nova zona, com uma área perto dos 30 quilómetros quadrados, beneficiando assim da área marítima, atribuída por Pequim, de 85 quilómetros quadrados.

Não se sabe onde vai ser a possível nova zona, mas deve ser vista como uma oportunidade, diz Yue-man Yeung: “Diversificar é algo que sempre almejamos. Se há capacidade e terra, acho que o Governo pode envidar mais esforços. Deve ouvir a população. Ouvir o que seria bom para Macau, agora que entra na terceira década. Passaram os vinte primeiros anos e Macau portou-se muito bem. Melhor que Hong Kong, na verdade. Macau tem de se orgulhar, mas não pode acabar aqui. O Mundo está a evoluir e devemos capitalizar o que temos. Não apenas investir em mais jogo”.

Desenvolver é muito mais do que bonitas palavras: “É preciso ver o que há e o que é necessário. Isso poderá ser algo que a possível quarta zona é capaz de oferecer. Penso que o desenvolvimento não é apenas palavreado fácil ou ideias muito bonitas. É preciso aconselhamento especializado”.

O mar cresceu em Macau, o que não acontece todos os dias e, diz Yue-man Yeung, é preciso saber “aproveitar bem esta oportunidade”.

A Conferência Internacional sobre Gestão, Utilização e desenvolvimento das áreas marítimas de Macau acontece sábado, dia 4 de Agosto, na Torre de Macau.

João Picanço