Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Docomomo Internacional também enviou carta a Chui Sai On
Terça, 24/07/2018
A presidente da Docomo Internacional, Ana Tostões, enviou na semana passada uma carta ao Chefe do Executivo a pedir a classificação do Rainha Dona Leonor como “edifício de interesse arquitectónico”.

Ana Tostões subscreve a posição da Docomomo Macau sobre o edifício junto ao Hotel Sintra, na Avenida Infante D. Henrique.

Na carta dirigida ao líder do Governo destaca o prédio Rainha Dona Leonor como “uma obra de arte arquitectónica única em Macau”. E refere que incorpora “os princípios e ideais que surgem com o advento da arquitectura modernista no pós-guerra”.

Mais, alega que “o edifício está em bom estado de conservação, com todas as infra-estruturas a funcionar e ocupadas por apartamentos na torre e lojas no rés-do-chão, como originalmente planeado”.

Por este conjunto de razões, a Docomomo International pede a reflexão de Chui Sai On sobre a decisão “iminente e delicada” a tomar sobre o prédio.

Ana Tostões argumenta que “é urgente sensibilizar para as qualidades e significado” do edifício. Frisa que o Dona Leonor é um testemunho exemplar e que por isso devia ser preservado, como prova física da história contemporânea de Macau. Caso contrário, a cidade “ficará bastante empobrecida”.

A carta de Ana Tostões foi dirigida a Chui Sai On na mesma semana em que a Docomomo Macau, liderada pelo arquitecto Rui Leão, fez o mesmo pedido ao Chefe do Executivo, Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) e Instituto Cultural (IC).

Na qualidade de presidente substituto do Instituto Cultural, Ieong Chi Kin disse à margem da apresentação à imprensa da próxima edição do Festival Internacional de Música, que recebeu o documento do grupo de Rui Leão hoje, “meia hora antes” do evento.

Ieong Chi Kin disse que vai enviar o documento ao departamento da Protecção do Património do IC.

O edifício Rainha Dona Leonor está já numa lista internacional de risco, depois do alerta dado pela Docomomo Macau à congénere internacional.

Foi projectado no final da década de 1950 pelo arquitecto José Lei e construído em 1961. É o primeiro arranha-céus residencial a ser equipado com elevador. O bloco destaca-se pelos apartamentos duplex e varandas, refere a carta da Docomomo Internacional.

Fátima Valente