Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Activista Jason Chao conhece sentença a 6 de Setembro
Terça, 24/07/2018
O Tribunal Judicial de Base agendou para 6 de Setembro a leitura de sentença do caso que envolve o ex-presidente da Associação Novo Macau Jason Chao, acusado de difamação. O julgamento decorreu hoje, sem a presença do activista, que se encontra a residir no Reino Unido e autorizou a que a audiência decorresse na sua ausência.

O processo foi movido pelo professor da Universidade de Macau Wang Jianwei, depois da publicação Macau Concealers, ligada à organização pró-democracia, ter noticiado que o académico era alvo de três queixas por assédio sexual. Em tribunal, Wang Jianwei disse que nunca foi confrontado com os casos.

À saída do julgamento, Scott Chiang, ex-presidente da Associação Novo Macau e proprietário da Macau Concealers mostrou-se confiante na absolvição de Jason Chao.

“Gostámos do que vimos hoje. Fizemos o nosso melhor: ficou demonstrado em tribunal. Não divulgámos nomes até outro meio de comunicação social o ter feito e isso ficou também muito claro na audiência. Estamos muito optimistas”, defendeu.

Em tribunal, foi também dito que a Universidade de Macau confirmou a existência de três queixas de assédio sexual, mas não identificou os professores envolvidos.

Para a Macau Concealers, o facto de a instituição de ensino não ter desmentido o alegado envolvimento de Wang Jianwei tornou o caso “plausível” e com valor noticioso.
“Insistimos em cumprir o dever de informar o público. Uma alegação é, por si só, uma informação relevante (...).

Neste caso, fizemos o nosso melhor para obter um esclarecimento da universidade, que não negou de forma categórica. (...) Se alguém ficou ofendido connosco ou com a notícia, é uma opção individual”, defendeu Scott Chiang.

Sónia Nunes