Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Funcionários da Yat Yuen queriam continuar a tratar dos cães
Sábado, 21/07/2018
Dezenas de funcionários da Companhia de Corridas de Galgos estiveram hoje de manhã no canídromo com intenção de continuar a trabalhar no local.

De acordo com a Ou Mun Tin Toi, alegaram terem sido os superiores na empresa a sugerirem que se deslocassem ao local.

Segundo a emissora de rádio em língua chinesa, argumentaram que eram as pessoas mais indicadas para tomar conta dos mais de quinhentos galgos, já que conhecem os animais melhor do que ninguém.

A deputada Ella Lei também esteve no local para ouvir os trabalhadores, que não puderam entrar no canídromo, espaço que desde as 00h00 está nas mãos do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, depois do fim do contrato de exploração das corridas de cães.

Ainda de acordo com a Ou Mun Tin Toi, a empresa Yat Yuen enviou esta manhã um comunicado a dizer que, na próxima semana, já a partir de segunda-feira, vai oferecer postos de trabalho aos 129 funcionários que ontem ficaram sem ocupação. As vagas serão do universo das empresas pertencentes à Sociedade de Jogos de Macau (SJM), Macau Jockey Club e Macau Slot.

O comunicado refere, ainda, que os ex-funcionários do canídromo vão ter prioridade nas contratações para o novo “resort” da SJM, o Grand Lisboa Palace, actualmente em construção no Cotai.

Hugo Pinto