Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Abuso sexual de menores: 18 casos, 5 acusações, em 2011
Domingo, 25/03/2012

Macau foi palco de 18 casos de abusos sexuais de menores, no ano passado. Segundo dados das Forças de Segurança, revelados ao magazine de informação da Rádio Macau, Paralelo 22, o Ministério Público (MP) deduziu apenas cinco acusações.

 

Em 12 anos da RAEM, 2010 foi o ano mais problemático, com 23 casos. Mas também nesse ano o MP levou cinco a tribunal. Embora os crimes de agressões sexuais contra crianças estejam previstos na lei, são poucos os processos em que há condenações.

 

A explicação é, em parte, sócio-cultural. Os casos de abuso sexual de menores acontecem, na maioria das vezes, no seio familiar - o agressor é normalmente um pai, um padastro ou um tio - e as mães têm dificuldade em aceitar essa realidade.

 

“Os abusos sexuais estão sempre envoltos num grande secretismo. Isto porque há a intimidação para que a criança não conte nada a ninguém, sob pena de lhe acontecer algo muito mau”, explica ao Paralelo 22 Gertina Van Schalkwyk, professora do departamento de psicologia da Universidade de Macau.

 

Na RAEM existe apenas uma associação ligada ao Governo, que lida com o problema dos abusos sexuais. A funcionar desde 2006, a Associação de Luta contra os Maus Tratos às Crianças só acompanhou, até agora, seis casos de agressões sexuais a menores e a aposta tem ido mais para a prevenção.

 

“O conhecimento sobre o assunto é ainda insuficiente. A população não sabe ao certo o que são abusos sexuais. Além disso, há uma alta tolerância a este tipo de casos, que aqui são melhor aceites do que noutros locais - é uma característica da cultura asiática. Mantemos todos os segredos dentro de casa”, afirmou a supervisora do Centro de Protecção das Crianças, Theresa Choi, em declarações ao Paralelo 22.

 

O centro não tem qualquer psicólogo ou psiquiatra, mas o que mais preocupa Theresa Choi é a ausência de uma lei específica sobre os vários tipos de violência contra as crianças.

 

“Choro em surdina” é uma reportagem que pode ouvir na edição deste domingo do Paralelo 22, disponível aqui, na nossa página da Internet, e transmitido, de novo, na 98 FM, na próxima terça-feira, às 10h30.