Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

DSEJ estima que faltam 700 docentes em Macau
Quinta, 22/03/2012

Faltam cerca de 700 professores em Macau. A estimativa foi avançada à Rádio Macau pelo subdirector dos Serviços de Educação e Juventude, Lou Pak Sang.

 

“Neste momento, é preciso contratar cerca de 700 docentes para o preenchimento das vagas e para diminuir o número de aulas que cada um dos professores dá”, afirmou o director.

 

Lou Pak Sang acredita, no entanto, que o novo Quadro-Geral do Pessoal Docente das Escolas Particulares do Ensino Não Superior – aprovado pela Assembleia Legislativa no mês passado - pode ajudar a atrair mais pessoas para a profissão. “Em primeiro lugar porque temos regulamentos em termos de retribuições e benefícios. Obrigamos 70% das receitas fixas e permanentes das escolas a revertem para o docentes. Isto é uma forma de poder elevar a qualidade dos professores. Em segundo lugar, o nosso subsídio específico de desenvolvimento  tem no mínimo um aumento de 1,8 vezes. Por último, vamos reduzir as aulas dadas pelos professores, para diminuir a carga de trabalho e a pressão. Além disso, há ainda o fundo de previdência e cuidados de saúde. Creio que há condições para atrair profissionais para o sector”, afirmou o dirigente da DSEJ.

 

Lou Pak Sang garante que a prioridade no recrutamento de professores vai para o mercado local, mas não descarta a hipótese de contratar profissionais ao exterior, desde que sejam especialistas em áreas para as quais não existam recursos humanos suficientes na RAEM.