Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Zhu Songyan: "vamos ter uma nova Air Macau" em breve
Quinta, 22/03/2012

O director executivo da Air Macau admite que há problemas de qualidade e ao nível da tripulação. No entanto, promete uma nova Air Macau para breve. “A Air Macau tem uma experiencia de quase 15 anos e tem enfrentado problemas financeiros. Mas, neste momento, estamos todos a concentrar as nossas energias em resolver os problemas. Penso que vamos ter uma nova Air Macau num futuro muito próximo”.

 

Zhu Songyan garantiu que na parte administrativa e de gestão de recursos humanos já está tudo dentro dos parâmetros exigidos pela Autoridade de Aviação Civil. A companhia aérea pretende ainda continuar a contratar mais tripulantes, de todo o mundo, e aumentar a escala, principalmente, ao nível dos negócios de transporte de carga e de passageiros. Isto faz parte de um plano director da empresa, que também contempla a revisão dos critérios de avaliação da qualidade dos serviços, da estrutura salarial e ainda da estratégia da empresa.

 

A companhia aérea também vai renovar a frota até 2018. “Vamos usar os 700 milhões investidos pelo Governo para mudar os nossos aviões...agora temos 14 aeronaves a operar em regime de leasing mas até 2018, a Air Macau vai renovar toda a frota”, disse Zhu Songyan.

 

O director executivo também nega haver problemas entre a Air China e a Air Macau, dizendo que a empresa do continente chinês continua a apoiar a companhia de bandeira da RAEM. Aliás, a Air Macau conta com essa ajuda para se manter numa rota ascendente. “Entre este e o próximo ano, o mercado asiático deverá tornar-se o melhor do mundo, o que significa que Macau continuará com um mercado forte, especialmente por causa do mercado da China. Portanto, penso que este mercado pode apoiar a Air Macau a manter uma rota ascendente”, referiu o responsável.

 

Zhu Songyan falava esta manhã aos jornalistas numa apresentação da primeira aeronave com a cabine renovada. A empresa prevê gastar cerca de 72 milhões de patacas na renovação de cabines de parte da actual frota.