Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

5 níveis de avisos de storm surge a partir de amanhã
Segunda, 11/06/2018
Macau tem a partir de amanhã um novo sistema de alerta de “storm surge”. O objectivo é preparar melhor a população para o risco de inundações associadas à passagem de tempestades.

De acordo com o documento publicado hoje em Boletim Oficial, o “storm surge” consiste no “aumento anormal do nível da água quando uma tempestade tropical se aproxima das áreas costeiras”. Trata-se de um fenómeno que pode provocar “inundações em zonas baixas” da cidade, lê-se na mesma ordem executiva.

O novo sistema de alerta de “storm surge” – que vem substituir o que estava em vigor desde 2009 – aumenta o número de níveis de aviso para um total de cinco, consoante a previsão da subida do nível das águas: azul (o menos grave); amarelo, laranja, vermelho e preto.

O sistema em vigor até hoje previa apenas três níveis de aviso de “storm surge”, com o mais elevado – a bola preta – a referir-se a uma previsão de subida do nível da água acima do pavimento superior um metro. Agora, o novo sistema prevê uma escala de avisos que, no nível mais grave, aponta para uma subida do nível da água acima dos 2,5 metros.

Outra novidade introduzida no novo sistema é a emissão de um “alerta”, antes de ser emitido qualquer um dos cinco “avisos” de “storm surge”.

No documento publicado hoje em Boletim Oficial justifica-se a introdução do novo sistema com o objectivo “de assegurar a protecção da vida e bens da população, bem como de alertar o público para o nível de ameaça o risco de ser afectado por um “storm surge””.

O aumento do número de avisos de “storm surge” já tinha sido anunciado pelo Governo, no âmbito das medidas de prevenção lançadas depois da passagem do tufão Hato. Foi a pior tempestade dos últimos 50 anos no território e resultou em 10 mortos.

No final do mês passado, Hiroshi Takagi, professor do Tokyo Institute of Technology que visitou Macau poucos dias depois da passagem do tufão Hato, disse à TDM – Rádio Macau ter notado que a população local está mal informada sobre o fenómeno “storm surge” e sobre como se deve proceder nestas situações.

As cheias em zonas urbanas foram responsáveis pela maior parte das mortes provocadas pelo tufão Hato e, segundo os dados recolhidos pelos académicos japoneses, as águas chegaram a atingir mais de dois metros de altura nalgumas zonas da cidade.

Sofia Jesus