Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Angola, Brasil e Moçambique no Fórum de Infra-estruturas
Segunda, 04/06/2018
É já na quinta-feira que arranca, no Venetian, a nona edição do Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas. O fórum vai juntar mais de 1.500 pessoas, de 60 países e regiões, incluindo mais de 50 governantes de mais de 30 territórios.

Entre os participantes estão seis governantes do Brasil, Angola e Moçambique, adiantou Yu Xiaohong, vice-presidente da Associação Internacional de Empreiteiros da China, uma das entidades organizadoras, em conjunto com o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM).

De Angola vêm quatro representantes: o ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, o vice-governador da província de Cabinda, Macosso Alberto Paca Zuzi, e os vice-governadores das províncias de Lunda Norte e de Luanda, Lino dos Santos e José Paulo Kai, respectivamente.

Já do Brasil é esperado o vice-governador do Estado da Bahia, João Felipe De Souza Leão.

Moçambique estará representado pelo vice-ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Victor Tuacale.

O tema deste ano é o “Fomento de Novos Motores de Crescimento para Impulsionar a Construção e Conectividade de Infra-estruturas”.

O Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas vai pela primeira vez promover um “Diálogo com Executivos Financeiros Internacionais” e, nesse âmbito, discutir questões como “a atracção de capital social para investir em infraestruturas e modelos inovadores de investimento e financiamento”.

Em paralelo vai decorrer o quarto Fórum para a Cooperação em Infraestruturas entre a China e a América Latina. Estão também agendados dois fóruns temáticos e 11 sessões paralelas, explicou Yu Xiaohong.

O fórum vai ter também uma área de exposição. A maioria dos expositores são empresas estatais chinesas, de acordo com Yu Xiaohong.

Durante o encontro vão ser publicados o “Índice do Desenvolvimento de Infra-estruturas na China em 2018” e o relatório anual sobre o Desenvolvimento da Construção “Uma faixa, Uma rota”.

Sam Lei, vogal executivo do IPIM, destaca os resultados positivos do certame, indicando que em oito edições foram assinados 14 protocolos para a construção de estradas e de escolas, e também no ramo da electricidade. Sam Lei também sublinha os benefícios para as empresas de importação e exportação de materiais de construção, através da plataforma de Macau.

Este ano, também há mais sete empresas de Macau a colaborar na organização do fórum. De seis passam a 13 empresas locais a colaborar com o IPIM e Associação Internacional de Empreiteiros da China.

Fátima Valente