Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

IAS admite construção de lares transfronteiriços para idosos
Quarta, 21/03/2012

O Instituto de Acção Social (IAS) admite a hipótese de vir a construir lares para idosos no outro lado da fronteira - uma ideia que chegou a ser anunciada, mas acabou por ser abandonada. Em resposta à Rádio Macau, o organismo considera, no entanto, que, com os actuais planos de criação de lares e a concessão de terrenos na RAEM, vai ser possível assegurar o número necessário de vagas no território ao longo dos próximos dez anos.

 

A Rádio Macau perguntou ao IAS se admitia a hipótese de construir lares para idosos na Ilha da Montanha – uma sugestão deixada este mês por Pun Hon Veng, delegado de Macau à Conferência Consultiva Política do Povo Chinês. Na resposta enviada hoje, o IAS não se refere especificamente a Hengqing, mas admite que “tem vindo a considerar, na base da cooperação já existente entre Guangdong e Macau, o início do estudo de viabilidade de cooperação no desenvolvimento de serviços sociais, que incluirão a construção de equipamentos sociais transfronteiriços, tais como lares para idosos”.

 

Ainda assim, o IAS sublinha que, “nos próximos dez anos, poderá ser alcançado o número necessário de vagas dos lares de idosos em Macau, através da concessão de terrenos”.

 

Em Agosto do ano passado, e segundo os últimos Censos, Macau tinha cerca de 40 mil idosos com 65 anos ou mais. Um número que corresponde a mais de sete por cento do total da população.

 

Segundo dados preliminares do Estudo sobre as Necessidades e o Planeamento do Serviço de Alojamento do Cidadão Sénior da RAEM, enviados à Rádio Macau, o objectivo é que a proporção de lares corresponda a 3,4 por cento da população idosa. Ou seja, diz o IAS, o objecto é que dentro de quatro anos haja 2.166 vagas para idosos em Macau. O instituto acredita que essa meta vai mesmo ser ultrapassada, já que os planos do IAS para a construção ou remodelação de lares vão aumentar para quase 2400 o número de vagas em asilos, em 2015.

 

A par destes projectos, o organismo liderado por Iong Kong Io lembra ainda que o Governo vai construir mais lares de terceira idade nos terrenos reservados nos novos aterros.

 

De recordar que o Governo chegou a planear a construção de lares para idosos de Macau numa localidade da China, mas a ideia acabou por não se concretizar.