Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Galgos: Albano Martins prevê que canídromo falhe prazo
Quarta, 30/05/2018
Albano Martins, presidente da Anima – Sociedade Protectora dos Animais, considera que a Companhia de Corridas de Galgos de Macau (Yat Yuen) vai falhar o prazo dado pelo Governo, o final deste mês, para apresentar um plano de realojamento dos cães.

Em declarações à TDM – Rádio Macau, Albano Martins denuncia ainda o que diz ser a “pouca vontade” da empresa em colaborar com a Anima na adopção dos galgos.

O Governo deu até 31 de Maio para a companhia que gere o canídromo apresentar um plano de realojamento dos cerca de 600 galgos, antes do encerramento do espaço de apostas, no dia 21 de Julho.

O presidente da Anima acredita que a Yat Yuen, pertencente à Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, tem planos diferentes do Governo: “Quase que garanto que eles não vão dar resposta nenhuma. Eles, pura e simplesmente, vão tentar jogar para prolongar o prazo da concessão por vários anos. O objectivo vai ser o mesmo que aconteceu com o Jockey Club, ou seja, ficarem com os terrenos”.

De acordo com Albano Martins, a Anima contactou o canídromo informando que queria ajudar na adopção dos cães, tendo recebido a indicação de que deveria pedir aos associados que preenchessem a ficha de adopção que está na página electrónica da empresa.

No entanto, Albano Martins disse que “não há ficha de adopção, nem em chinês, na página electrónica”, onde se lê a informação de que o sítio está a ser actualizado.

Albano Martins recorda que, já este mês, no dia 18, a Anima enviou uma carta ao secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, a avisar que, a dois meses do final da concessão da Yat Yuen, “era tecnicamente impossível mandar os galgos para fora de Macau e Hong Kong, que não conseguem absorver todos os animais que existem no canídromo”.

Albano Martins observa que são precisos, no mínimo, três meses para fazer análises ao sangue e a vacinação.
De acordo com o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, o canídromo diz ter um plano de adopção a decorrer, bem como um plano para prestar cuidados adequados aos galgos, que passará pela cooperação com associações do China e estrangeiras.

Hugo Pinto