Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

DSAT: “Não houve falha na liberalização” dos autocarros
Quinta, 24/05/2018
O director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, Lam Hin San, defendeu hoje que a fusão das empresas de autocarros Nova Era e TCM não significa que a tentativa do Governo de abrir o mercado a mais do que duas operadoras tenha falhado.

“Não concordo que tenha havido uma falha na liberalização do mercado. Temos de ver a experiência dos residentes: a utilização subiu de 300 mil passageiros por dia para 690 mil. São dados que não enganam. Posso dizer que satisfazemos as necessidades dos residentes”, afirmou Lam Hin San, depois de participar numa reunião com o Conselho Consultivo do Trânsito.

A fusão da Nova Era e da TCM, actualmente em concorrência com uma terceira operadora, a Transmac, foi um dos pontos debatidos durante o encontro.

Os contratos das três empresas do serviço público de autocarros terminam já em Julho, mas Lam Hin San recusou-se a esclarecer se o Governo pretende abrir novo concurso e continuar a atribuir três licenças ou se a intenção é antes renovar os actuais contratos, ficando com duas empresas a operar no mercado. “Não é conveniente [responder a essa questão]”, disse, alegando estar ainda em negociações com as empresas.

Lam Hin San reiterou, no entanto, que a fusão da TCM com a Nova Era – ambas controladas pela Nam Kong – tem vantagens. “Podemos concentrar os recursos e aproveitá-los. Actualmente, se uma empresa tiver autocarros a menos e outra a mais, esta não pode dar apoio. Ou seja, temos duas companhias que têm os mesmos sócios, mas os motoristas são separados e os autocarros também”, argumentou.

Sónia Nunes