Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Dia de Portugal: Pedro Abrunhosa no CCM a 8 de Junho
Quinta, 17/05/2018
O músico português Pedro Abrunhosa actua em Macau no dia 8 de Junho. O espectáculo de Abrunhosa, com os Comité Caviar, está marcado para as 20 horas, no Centro Cultural de Macau.

O concerto é o destaque do programa de comemorações do Dia de Portugal, que vai estender-se durante todo o mês de Junho.

Além de Pedro Abrunhosa, também há Fados de Coimbra, no Teatro D. Pedro V, no dia 29. E no dia 2, a música é para toda a família, com “Era uma vez, a cantar em Português”, no pequeno auditório do Centro Cultural.

Os concertos são gratuitos, mas nos casos dos espectáculos de Pedro Abrunhosa e do concerto infantil, é preciso levantar bilhete na Casa de Portugal em Macau. Os bilhetes podem ser levantados a partir do dia 23 deste mês, segundo a presidente Amélia António.

Sob o lema “De todos e para todos”, o Dia de Portugal e das Comunidades vai dar mote a cerca de 25 eventos, entre música, cinema, e mostras de fotografia, pintura e gastronomia, com mais de 35 artistas convidados.

O cônsul Vítor Sereno destaca “Junho, o mês de Portugal” como um conjunto de iniciativas para toda a comunidade. “Promover Portugal em Macau” é o objectivo.

A organização das comemorações do 10 de Junho está a cargo do Consulado de Portugal, Casa de Portugal, Fundação Oriente e Instituto Português do Oriente.

Uma iniciativa em preparação é um roteiro cultural de Camilo Pessanha. A iniciativa do Instituto Português do Oriente está ainda em desenvolvimento, de acordo o director, João Laurentino Neves.

Outra exposição em destaque é a da Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Gondomar. “Joias à La Carte” é a mostra que pela primeira vez estará em Macau, na residência consular. Vítor Sereno diz que vai ser “um evento único na Ásia”.

Também na galeria da residência consular, o artista de Macau João Magalhães expõe o trabalho “Pedra, Tesouro e Papel”.

Nas exposições, Ana Paula Cleto, da Fundação Oriente, destaca a vinda a Macau da arquitecta Ana Aragão, que “faz desenhos e tapecarias de grande dimensão de cidades imagináveis”. Ana Aragão vai estar em residência artística em Macau e a exposição vai estar aberta ao púbico durante dois meses, a partir de 14 de Junho.

Vai haver também uma exposição de fotografia de amadores sobre “elementos de Macau que remetam para Portugal” . Os interessados podem enviar as fotos para a Casa de Portugal até ao final desta semana.

À semelhança dos outros anos também há cinema. O realizador português António-Pedro Vasconcelos vem a Macau apresentar três filmes: “Jaime”, “Os Gatos Não Têm Vertigens” e “Os imortais”. Também vai dar uma conferencia no Café do IPOR.

E a Cinemateca Paixão acolhe oito filmes do Indie Lisboa nos dias 27, 28 e 29. Os filmes são: "Amor Amor" (Jorge Cramez), “Limoeiro” (Joana Silva), “Flores” (Jorge Álamo), “O Homem de Trás os Montes” (Miguel Moraes Cabral), “Os Humores Artificiais” (Gabriel Abrantes), “Colo” (Teresa Vilaverde), “Pelas Sombras” (Catarina Mourão) e “Luz Obscura” (Susana de Sousa Dias).

Ana Paula Cleto aponta outra novidade: um workshop sobre cinema para 15 pessoas promovido pela associação de cinema CUT.

Há ainda uma exposição de pintura, a partir de dia 6, com os artistas portugueses Pedro Proença, Maria João Franco e Madalena Pequito no Clube Militar. Este espaço acolhe também o festival de gastronomia e vinhos de Portugal, com os chefes Miguel Castro Silva e Sérgio Canas, de 7 a 17 de Junho.

Fátima Valente