Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

IAS: 20% de reincidentes nos tratamentos anti-droga
Sexta, 11/05/2018
Desde 2009 até Dezembro do ano passado, 854 pessoas em Macau optaram por receber tratamento contra a dependência da droga em vez de cumprirem prisão por crimes relacionados com substâncias ilícitas. E 20 por cento do total, ou cerca de 170, foram readmitidas para reabilitação por serem reincidentes, nomeadamente no consumo de droga ou na posse de utensílios para consumir.

Os dados são do Instituto de Acção Social, que fala em “sucesso comparando com as regiões” vizinhas. “Depois do tratamento conseguimos um número estável das pessoas que não voltaram às drogas”, disse Lei Lai Peng, chefe do Departamento de Prevenção e Tratamento da Dependêcia do Jogo e da Droga Instituto de Acção Social (IAS).

Cheang Io Tat, do mesmo departamento diz que a faixa etária dos reincidentes “concentra-se entre os 30 e 40 anos de idade”.

No ano passado, os centros de tratamento do Governo receberam 50 novos casos. Um número que elevou para 160 pessoas, o total dos condenados em processo de reabilitação da droga em 2017, de acordo com Cheang Io Tat.

Os condenados por alguns crimes relacionados com droga podem escolher fazer o tratamento ou cumprir pena desde 2009. Uma opção que se mantém na nova lei, em vigor há 15 meses.

Na altura da discussão e aprovação do diploma, o Governo assumiu o aumento das penas como um incentivo à escolha pela desintoxicação.

Com a nova lei, de uma penalização que ia no máximo até três meses de prisão, o crime de consumo de drogas pode ir agora até um ano de cadeia – quatro vezes mais.

Em 2017, o Instituto de Acção Social recebeu 185 processos relacionados com droga.

Um total de dez casos foram até à data condenados ao abrigo da nova lei, de acordo com Lei Lai Peng.

Fátima Valente