Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Manuel Pinho vem a Macau falar sobre “Uma Faixa, Uma Rota”
Quarta, 09/05/2018
O ex-ministro da Economia do governo português Manuel Pinho é um dos convidados da conferência “Uma Faixa, Uma Rota”, apurou a Rádio Macau.

O evento realiza- se nos próximos dias 6 e 7 de Junho, na Universidade de Macau, e é organizado pelo Gabinete de Estudo das Políticas do Governo, pela Fundação Macau e pelo “Grand Thought Think Tank”, liderado pelo deputado nomeado Ma Chi Seng.

No evento, que se realizou pela primeira vez no ano passado, vai estar também o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Li Zhaoxing, que participou na anterior edição juntamente com Paulo Portas, antigo vice-primeiro-ministro português.

Agora, a conferência “Uma Faixa, Uma Rota” traz a Macau um ex-governante português com problemas na justiça e ligações à China.

Manuel Pinho é arguido desde 3 de Julho de 2017 no chamado caso EDP.

O ex-ministro da Economia é acusado de corrupção passiva e de participação económica em negócio por fazer parte de um alegado esquema de corrupção que envolve a eléctrica portuguesa, onde o Estado chinês controla uma posição de 28,25 por cento, directa e indirectamente através da empresa estatal China Three Gorges.

O Ministério Público português considera que Pinho e o governo de José Sócrates favoreceram a EDP no processo de entrada em vigor dos contratos que garantiram à empresa pagamentos de 2500 milhões de euros desde 2007.

De acordo com o diário ‘online’ Observador, os procuradores fazem ainda uma associação entre a última fase da privatização da EDP ganha em 2011 pela China Three Gorges e o cargo de professor universitário que Manuel Pinho passou a ocupar numa universidade pública chinesa.

Num despacho do Ministério Público citado pelo Observador lê-se que depois do “desempenho de funções governativas, a carreira académica do arguido Manuel Pinho teve um incremento decisivo”.

O despacho nota que, em 2015, Manuel Pinho passou “também a dar aulas como professor convidado na Universidade de Estudos Internacionais de Pequim”, uma instituição estatal como a China Three Gorges, sublinham os procuradores.

De acordo com o semanário Expresso, Manuel Pinho pode ter recebido mais de 3 milhões de euros do chamado “saco Azul” do Grupo Espírito Santo.

Os procuradores que têm nas mãos o caso EDP terão descoberto movimentos nesse montante em transferências para duas sociedades “offshore” de Manuel Pinho.

O antigo ministro já se mostrou disponível para explicar no parlamento os alegados pagamentos quando estava à frente do ministério, mas só depois de regressar a Portugal da China.

Foi o que fez saber o advogado Ricardo Sá Fernandes, informando num comunicado que Manuel Pinho “está na China em actividade académica para dar aulas e fazer conferências”.

Em Macau, Pinho vai integrar um painel com Li Zhaoxing dedicado ao tema do apoio de Macau ao desenvolvimento da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”.

No segundo dia da conferência, um dos temas em foco vai ser Macau como plataforma para a lusofonia e um dos oradores agendados é o presidente do Instituto Politécnico de Macau, Lei Heong Iok.

A iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, anunciada em 2013 pelo presidente Xi Jinping, propõe um plano de infra-estruturas que pretende reactivar a antiga Rota da Seda entre a China e a Europa através da Ásia Central, África e sudeste asiático.

Hugo Pinto