Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Macau e Camboja ponderam novas ligações directas
Terça, 08/05/2018
O Chefe do Executivo esteve hoje em reunido na capital do Camboja com o presidente da Assembleia Nacional e com o primeiro-ministro do país. Nos encontros foi abordado o reforço da cooperação bilateral na área do turismo. Em cima da mesa, a possibilidade de novas ligações aéreas entre as duas regiões.

A acompanhar Fernando Chui Sai estiveram os secretários Sónia Chan, Lionel Leong e Alexis Tam, bem como porta-voz do conselho executivo, Leong Heng Teng.
Aos jornalistas foi só permitido assistir aos primeiros palavras do governante do Camboja: palavras de agradecimento por esta visita.

Antes, no encontro com o presidente da Assembleia Nacional, falou-se em ligações directas entre Macau e o Camboja. Heng Samrin mostrou-se convicto de que a visita da delegação de Macau vai contribuir para o aprofundamento da cooperação entre os territórios, resultando no alargamento da colaboração na área do turismo, inclusive com a criação de novos voos directos entre Macau e o Camboja.

Fernando Chui Sai On assegurou que, assim que chegar a Macau, vai “empenhar-se na análise da viabilidade da introdução de ligações directas”.

Na área do turismo os dois lados podem colaborar. O Chefe do Executivo diz que o “Camboja tem valiosos recursos no que se refere à história, turismo e cultura”.

A iniciativa ‘Uma faixa, uma rota’ foi também um dos temas abordamos neste encontro com o presidente da Assembleia Nacional do Camboja, com os dois dirigentes a reconhecerem que o projecto “abre a porta a novas oportunidades de cooperação e ao reforço do intercâmbio”.
Heng Samrin lembrou ainda que este ano se comemoram os 60 anos da relação entre o Camboja e a China, “uma data de grande significado”.

Chui Sai On lembrou, também, o memorando assinado em Março último com a província de Siem Reap para o reforço das relações. Um documento que, a par do memorando assinado ontem, vai permitir o reforço da relação bilateral.


Marta Melo em Phnom Phen, Camboja