Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Han Zheng: Respeito pelo sistema socialista "é imperativo"
Quarta, 25/04/2018
O vice-primeiro chinês e membro do Comité Permanente do Politburo do Partido Comunista da China, Han Zheng, defende que é “imperativo o respeito pelo sistema socialista implementado pelas instituições nacionais”.

“A necessidade de defender a unidade e a soberania do país, bem como os interesses de desenvolvimento e a segurança nacionais”, foi, de acordo com um comunicado do gabinete do porta-voz do Governo, uma das quatro exigências de Han Zheng aos titulares dos principais cargos de Macau, que estão em Pequim para uma acção de formação.

Sobre a política de segurança nacional, Han Zheng disse que "torna-se imperativo o respeito pelo sistema socialista, implementado pelas instituições nacionais. Assim como o respeito ao Partido Comunista, conforme o estatuto do partido governante no país".

O vice-primeiro-ministro afirmou ainda que é "necessário defender o poder integral do Governo Central, assimilando de forma orgânica o alto nível de autonomia gozado pela RAEM".

As exigências foram feitas no âmbito da recepção na terça-feira, no Palácio do Povo, dos titulares dos principais cargos e procurador-geral de Macau.

Além dos cinco secretários, dos comissários contra a Corrupção e da Auditoria, e do procurador-geral do Ministério Público, deslocaram-se a Pequim o comandante-geral dos Serviços de Polícia Unitários, e o director-geral dos Serviços de Alfândega.

Na reunião marcaram ainda presença o director do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau, Zhang Xiaoming e o vice secretário-geral do Conselho de Estado, Ding Xuedong.

Entre as exigências feitas aos responsáveis de Macau está também "executar, integralmente, a Lei Básica e o princípio de “um país, dois sistemas”, e "elevar a capacidade de gestão da equipa e de promover o desenvolvimento de Macau".

Han Zheng instou ainda os titulares dos principais cargos a elevarem o nível da governação e o desenvolvimento de Macau.

“Macau deve integrar o quadro geral de desenvolvimento nacional, participar na construção da iniciativa “Uma Faixa, uma Rota” e da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. Com isso, será possível Macau avançar para um novo patamar económico”, salienta.

As exigências foram comunicadas pela secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, em declarações aos jornalistas após o encontro na terça-feira.


Fátima Valente