Em destaque

19 de Julho de 2018: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.4792 patacas e 1.1650 dólares norte-americanos.

Tarifas de autocarros sobem para 6 patacas sem distinções
Segunda, 16/04/2018
O Governo deixou cair a proposta de introduzir tarifas mais caras para trabalhadores não residentes e turistas nos autocarros públicos. O novo tarifário que foi apresentado hoje e entra em vigor no próximo Sábado prevê uma tarifa de bordo única de 6 patacas em todas as carreiras, incluíndo residentes, não residentes e turistas.

Este é o primeiro aumento de tarifas em mais de dez anos. Até aqui as tarifas variavam consoante a distância, tendo um preço médio de 3 patacas e 90 cêntimos.

Agora, todas as carreiras passam a ter uma tarifa de bordo de seis patacas, no entanto, nos pagamentos através de cartão electrónico uma viagem vai custar 3 patacas numa carreira normal e 4 patacas numa carreira rápida.
Os estudantes pagam metade do preço e idosos e deficientes ficam isentos de qualquer pagamento.

A proposta de penalizar os trabalhadores não residentes e turistas tinha saído do Conselho Consultivo do Trânsito em Setembro do ano passado e suscitou algumas críticas.

Hoje, em conferência de imprensa, o director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, Lam Hin San, disse que, depois de ponderar, o Governo considerou que a proposta não era adequada.

“Se fizéssemos uma diferenciação entre cidadãos de Macau e também entre turistas, calculando os custos, achamos que vão ser elevados. Em termos operacionais achamos que nesta altura a proposta não é adequada”, afirmou Lam Hin San.

Com esta actualização o Governo calcula reduzir em cerca de 150 milhões de patacas a despesa anual de mil milhões de patacas com o serviço público de autocarros. No ano passado, os autocarros públicos transportaram 210 milhões de passageiros. Para este ano, o Governo prevê um aumento de quatro por cento.

André Jegundo