Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Governo apresenta medidas para prevenção de catástrofes
Quinta, 12/04/2018
São dez as tarefas prioritárias no âmbito de prevenção e redução de catástrofes. O conjunto de medidas foi apresentado em conferência de imprensa com o Chefe do Executivo do Chefe do Executivo e membros da Comissão para a Revisão do Mecanismo de Resposta a Grandes Catástrofes e o seu Acompanhamento e Aperfeiçoamento.

Nos trabalhos está incluída a revisão do regime jurídico da protecção civil de Macau, bem como a formulação de um plano geral de protecção civil.

Algumas medidas vão ser já testadas no final deste mês num simulacro, como é o caso do plano de evacuação nas zonas baixas em caso de um grau elevado de Storm Surge.

A ser testado ainda no simulacro de 28 de Abril alguns sistemas que vão incluir a plataforma de comando de emergências. O Governo estima que esta plataforma e o novo centro de protecção civil sejam concluídos apenas em 2021.
Além do já anunciado aumento das categorias de tufão e dos graus de Storm Surge, vão ser criadas mais duas estações meteorológicas para medir a precipitação e o nível da água.

O plano agora anunciado prevê também o reforço do sistema de electricidade. A instalação de geradores de energia eléctrica a gás natural vai ser acelerada. Os trabalhos devem estar concluídos antes do verão de 2021, o que vai permitir que a produção de electricidade local em média atinja 30 por cento.

Macau passará ainda contar com 16 centros de protecção de perigo que podem acolher quase 24 mil pessoas.

O Governo planeia ainda apoiar as pequenas e medias empresas. Na próxima semana é lançado o plano de apoio financeiro para a instalação de plataforma elevatória contra inundação. A percentagem de apoio é de 80 por cento da despesa total, sendo o valor máximo de 100 mil patacas.

Em Junho é lançado o plano de apoio financeiro a pequenas e médias empresas para a instalação de comportas de prevenção de inundações.

Na área da educação, no próximo ano lectivo, devem começar a ser usados materiais suplementares para a educação da segurança nas escolas secundárias, primárias e jardins-de-infância.

Marta Melo