Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Albano Martins: PIB pode crescer só 10 a 15% este ano
Sexta, 16/03/2012

O economista Albano Martins disse, em declarações à Rádio Macau, que era expectável que o aumento do produto interno bruto (PIB) se fixasse, no ano passado, na ordem dos 20,7 por cento. “Era natural que o crescimento tivesse nessa ordem de grandeza e que fosse essencialmente empurrado pelas receitas de jogo, que aumentaram cerca de 42 por cento. Tudo o resto, por exemplo, o consumo privado e a formação bruta de capital fixo, embora tenham tido um crescimento relativamente elevado, não têm ainda peso suficiente dar orientação ao crescimento do PIB”.  

 

Quanto a 2012, Albano Martins antevê que se as parcelas 5 e 6 do Cotai sempre abrirem portas em Abril podem dar um empurrão ao valor do PIB. Mas se este cenário falhar, a queda do PIB em 2012 vai ser acentuada, alerta o economista. “Pelos valores que são indicativos, neste momento, as receitas do Jogo poderão crescer entre 20 e 30 por cento. (...) se ainda admitirmos que, neste ano, muito provavelmente não haverá mais nenhum casino a ser construído, porque nada se diz relativamente ao pedido da SJM ou da Wynn (...) a formação bruta de capital fixo vai cair substancialmente em 2012 e, portanto, tudo leva a crer, - isto sem fazer contas -, que o crescimento do PIB ficará entre os 10 e os 15 por cento”.

 

Na mesma linha, Albano Martins considera uma “estupidez” a decisão do Governo de limitar, em 2013, o crescimento anual das mesas de jogo a 3 por cento. “Há a tendência errada para se dizer que para se fazer a diversificação da economia é preciso liquidar-se o jogo. Por exemplo, quando o Governo fixa um crescimento de 3 por cento das mesas de jogo, - salvo melhor e sem querer ofender ninguém -, isso é estupidez, porque não se pode diversificar eliminando-se a indústria que cresce mais. A diversificação saudável tem de ser feita com as outras indústrias a ter pedalada para acompanhar a indústria do jogo. Não se deve matar a indústria do jogo”, apontou.