Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

AMCM aumenta taxa de redesconto para 2 por cento
Quinta, 22/03/2018
A Autoridade Monetária e Cambial de Macau (AMCM) aumentou hoje em 25 pontos-base para 2 por cento a taxa de redesconto, a taxa de juro a que empresta dinheiro aos bancos comerciais.

A decisão surge depois de, nos Estados Unidos, a Reserva Federal ter aprovado ontem a primeira subida das taxas de juro deste ano.

Numa altura em que as perspectivas da economia norte-americana se reforçaram, a subida de um quarto de ponto percentual era já esperada.

De acordo com um comunicado do banco central norte-americano, as taxas de referência ficam agora entre 1,5 por cento e 1,75 por cento, sendo que a Reserva Federal reiterou que conta fazer três subidas das taxas de juro em 2018.

A medida agora tomada tem impacte também em Macau dado que a pataca está indexada ao dólar norte-americano por via do dólar de Hong Kong.

Em comunicado, a AMCM explica que “a recente situação de desenvolvimento da economia externa e do mercado financeiro demonstram que a taxa de juros do mercado cambial de Macau vai subir de forma gradual no decorrer do ano”.

Por isso, é de esperar que “os bancos de Macau poderão ajustar a taxa de juros dos depósitos e dos empréstimos”.
Neste sentido, “o Governo alerta a população para o facto de, no futuro, a taxa de juros dos empréstimos hipotecários subir gradualmente, implicando aumento de encargos extraordinários a reflectir nas prestações dos empréstimos”.

O comunicado avisa os cidadãos que, ao adquirirem bens imóveis com empréstimos hipotecários, “devem ponderar com prudência sobre a capacidade de pagamento das prestações”.

Do mesmo modo, aconselha-se o sector bancário de Macau, que “deve proceder à avaliação da situação de funcionamento face aos impactos emergentes da evolução da taxa de juros, assegurando uma boa gestão dos potenciais riscos”.

Esta foi a sexta vez que a Autoridade de Monetária de Macau agravou a taxa de juros oficial desde Dezembro de 2015. A última tinha sido em Dezembro do ano passado.

Depois deste comunicado, o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, disse que a subida de taxa de juro aumenta a pressão no reembolso da amortização da habitação e aumenta os custos operacionais das empresas, mas garante que o Governo está a acompanhar de perto a situação.

Lionel Leong garantiu, ainda, que há medidas de apoio dirigidas às pequenas e médias empresas “com resultados efectivos”.

Num comunicado divulgado pelo Gabinete de Comunicação Social, o governante refere ainda que "as condições económicas de Macau são boas, com previsões positivas por parte de instituições internacionais, não havendo necessidade de a população entrar em pânico”.


Hugo Pinto