Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Assistente de Ng Lap Seng condenado a sete meses de prisão
Quinta, 01/03/2018
Jeff Yin, ex-assistente do empresário de Macau Ng Lap Seng, foi condenado a sete meses de prisão nos Estados Unidos, depois de ter admitido culpa pelo crime de evasão fiscal.

A pena foi conhecida esta quarta-feira em Nova Iorque, antes da sentença de Ng Lap Seng, marcada para 23 de Março, depois de ter sido considerado culpado neste caso de subornos a funcionários das Nações Unidas.

Em Março do ano passado soube-se que o cidadão americano Jeff Yin, de 32 anos, estava a negociar um acordo com a justiça norte-americana.

O arguido ia acusado de suborno, lavagem de dinheiro e evasão fiscal e foi por este último crime que Jeff Yin admitiu culpa, levando um tribunal de Manhattan a condená-lo agora a sete meses de prisão.

De acordo com a agência Reuters, a advogada de defesa, Sabrina Shroff, planeia pedir que o cliente cumpra a pena em casa.

Jeff Yin foi acusado juntamente com o antigo patrão, Ng Lap Seng, que em Julho do ano passado foi considerado culpado de subornar funcionários das Nações Unidas em troca do apoio para a construção de um centro de conferências em Macau.

O ex-assistinte deu-se como culpado apenas relativamente a uma das acusações, admitindo que recebeu pagamentos da empresa de Ng Lap Seng em numerário, de modo a evitar impostos.

Segundo a Reuters, Yin disse em tribunal que nunca lhe ocorreu questionar o que o patrão dizia para fazer, em parte porque cresceu numa família sino-americana “muito tradicional”.

No âmbito do acordo com a justiça norte-americana, Jeff Yin aceitou não recorrer de uma pena de prisão inferior a dois anos e meio.

Em tribunal, a acusação referiu que Yin ajudou Ng Lap Seng a executar o esquema de corrupção, nomeadamente pagamentos a Francis Lorenzo, antigo embaixador da Republica Dominicana, e a John Ashe, antigo presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas e embaixador de Antígua e Barbuda.

Para a acusação, com o apoio dos diplomatas à construção de um centro de conferências, que nunca chegou a concretizar-se, Ng Lap Seng pretendia obter “fama e fortuna” desenvolvendo Macau como a “Genebra do Oriente”.
Francis Lorenzo admitiu ter recebido subornos e o crime de branqueamento de capitais, tendo ainda testemunhado contra Ng Lap Seng.

Quanto a John Ashe, morreu em Junho de 2016, em casa, num acidente com o levantamento de pesos.

Hugo Pinto