Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Turistas gastam mais, mas saem menos satisfeitos de Macau
Sexta, 23/02/2018
A despesa dos visitantes em Macau subiu mais de 16 por cento, no ano passado. Mas os turistas dão sinais de menor satisfação em relação à indústria do jogo, dos hotéis e das agências de viagem. São dados divulgados hoje pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos.

Mesmo com os níveis de satisfação a descerem, turistas e excursionistas gastaram 61,32 mil milhões de patacas em 2017 – mais 16,4 por cento do que no ano anterior. Cada visitante gastou, em média, 1880 patacas, o que representou uma subida de 10 por cento.

Os visitantes da China foram os que gastaram mais em Macau, cada um com uma despesa média de 2200 patacas (mais 11,6 por cento).

Em segundo lugar, surgem os visitantes de Singapura, com uma despesa de 1848 patacas per capita.

Em sentido inverso, estão os turistas e excursionistas da Austrália, Estados Unidos e Reino Unido, que diminuíram os gastos durante a estadia em Macau.

No quadro geral, só em compras, os visitantes gastaram, cada um, em média, 855 patacas, um valor que representa um aumento de 15 por cento em relação a 2016. Foi dinheiro gasto em bens alimentares, como doces, e produtos de cosmética.

As despesas com o alojamento e alimentação ficam abaixo das 500 patacas.

2017 foi, de resto, um ano em que os visitantes saíram de Macau mais insatisfeitos. Em relação aos estabelecimentos de jogo, o nível de satisfação desceu 10,3 por cento. Também os serviços prestados pelas agências de viagem receberam mais críticas, com o grau de satisfação a descer 14,6 por cento. Nos hotéis, a queda é menos acentuada: 4,2 pontos percentuais.

A participação em exposições e convenções continua a ser o principal motivo para visitar Macau. Mas há também mais visitantes que chegam para passar férias e fazer compras.

Sónia Nunes