Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Poluição de ciclomotores representa “uma grave situação”
Quinta, 15/02/2018
Mais de metade dos ciclomotores alvo de fiscalizações aleatórias em 2017 não foram aprovados por violarem os valores-limite de emissão de gases de escape poluentes, de acordo com os Serviços para os Assuntos de Tráfego, que descrevem uma “uma grave situação”.

Em 29 ciclomotores fiscalizados nas estradas de Macau ao longo do ano passado, só 14 foram aprovados.

Em comunicado, os Serviços para os Assuntos de Tráfego falam numa “grave situação de emissão de gases poluentes”.

Já os 26 veículos de duas rodas com motores acima dos 50 centímetros cúbicos que foram fiscalizados registaram uma taxa de aprovação de 100 por cento.

No que diz respeito aos automóveis ligeiros, a taxa de aprovação foi de 90 por cento – em 41 fiscalizados, quatro reprovaram.

Mais grave foi a situação dos automóveis de transporte de mercadorias – os movidos a gasolina tiveram uma taxa de aprovação de 57 por cento – em sete, três não foram aprovados.

Já os movidos a gasóleo apresentaram uma taxa de aprovação de 79 por cento – em 255, 54 não respeitavam os valores-limite de emissão de gases de escape poluentes.

No caso dos táxis a gasóleo, a taxa de aprovação foi de 85 por cento – três em 20 não foram aprovados. Nos táxis a gasolina apenas um foi alvo de fiscalização aleatória, com sucesso.

Quanto aos autocarros de turismo, em 114, 17 chumbaram, representando uma taxa de aprovação de 85 por cento.
Nos autocarros públicos, em 413 fiscalizados, nove não passaram, o que se traduz numa taxa de aprovação de 98 por cento.

No total, em 2017 foram inspeccionados 906 veículos, dos quais 88 por cento foram aprovados.

De acordo com regras em vigor desde Julho do ano passado, a emissão de gases poluentes que ultrapasse os valores legais permitidos está sujeita a uma multa de 600 patacas.

Hugo Pinto