Em destaque

26 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.0301 patacas e 1.1139 dólares norte-americanos.

Bancos vão poder emprestar mais a jovens para primeira casa
Quinta, 08/02/2018
O Governo decidiu aligeirar os limites ao rácio dos empréstimos bancários para a compra de habitação no caso de jovens que pretendam adquirir a primeira casa. É mais uma medida para o sector imobiliário, conhecida depois de esta semana a Assembleia Legislativa ter aprovado duas propostas de lei que visam combater a especulação no sector.

De acordo com as novas orientações a serem emitidas pela Autoridade Monetária de Macau, a medida destina-se a residentes com idades entre os 21 e os 44 anos, que não sejam proprietários de qualquer casa.

Neste contexto, os bancos vão poder conceder empréstimos até 90 por cento do valor da avaliação do imóvel, para apartamentos que custem até 3,3 milhões de patacas, mas o valor do empréstimo não poderá ser superior a 2,64 milhões de patacas. Actualmente, essa proporção de 90 por cento já está em vigor para todos os residentes que queiram comprar uma primeira casa, independentemente da idade, mas o valor máximo do empréstimo, nestes casos, é de 2,31 milhões de patacas.

Para casas mais caras, avaliadas entre 3,3 milhões e oito milhões de patacas, os bancos vão poder emprestar aos jovens até 80 por cento, sem outro limite. Actualmente, aos residentes que comprem uma primeira casa – entre as que custem entre 3,3 milhões e oito milhões de patacas –, os bancos só podem emprestar até 70 por cento e até um máximo de 3,6 milhões de patacas.

A nova directiva também uniformiza a percentagem do empréstimo para a compra de casas ainda em construção e que custem até oito milhões de patacas: neste caso, os jovens vão poder obter empréstimos até 80 por cento do valor da avaliação. Actualmente o rácio dos empréstimos a conceder aos residentes que comprem uma primeira casa, ainda em construção, varia consoante o valor do imóvel e está fixado entre 50 e 70 por cento.

Os novos limites aos empréstimos bancários destinados aos jovens que comprem uma primeira casa entram em vigor no mesmo dia em que entrar em vigor a criação do imposto de selo adicional para quem compre um segundo ou terceiro imóvel para habitação, uma medida aprovada ontem na Assembleia Legislativa e que vai entrar em vigor no dia seguinte à publicação em Boletim Oficial.

Sofia Jesus