Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Conselheiros questionam limite de altura no centro histórico
Quarta, 07/02/2018
Alguns membros do Conselho do Património Cultural manifestaram dúvidas e pediram flexibilidade nos limites de construção na zona de protecção do centro histórico, que não pode ultrapassar os 20,5 metros de altura.

Um dos conselheiros, Leong Cheong In abordou o centro histórico e a zona de protecção envolvente na reunião plenária.

“Já existem edifícios muito altos que estão a afectar o centro histórico. São alguns problemas que temos de encarar. Não podemos demolir essas construções, por isso eu penso que devido à dimensão do território deveríamos tentar atingir um consenso em termos de desenvolvimento e de conservação”, disse.

Em resposta, a vice-presidente do Instituto Cultural Leong Wai Man recordou que o documento está em consulta pública afirmou que “o limite da altura de 20,5 metros é apenas uma sugestão para a situação geral”.

A classificação e revitalização dos estaleiros de Lai Chi Vun foi outro tema em análise na reunião. Cheang Kok Keong pediu a revitalização da zona para melhor promover o local, que foi um ponto de contacto entre a China e Portugal, e sugeriu criar um itinerário turístico.
Também disse que o princípio de protecção não deveria ser aplicado em todos os casos. “[A zona dos estaleiros] merece ser revitalizada e espero que no próximo aniversário do estabelecimento da RAEM possamos ter esta área noutra fase, com nova imagem”, afirmou.

O conselheiro Lei Ip Fei questionou o número de edifícios históricos, uma dúvida que recordou já ter sido manifestada pela UNESCO: “Afinal quantos são (...) temos cinco ou oito largos?”

A vice-presidente do Instituto Cultural Leong Wai Man respondeu que seria uniformizada a divulgação ao público.

Fátima Valente