Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Nova presidente do IC diz que vai ter “muita pressão”
Quarta, 07/02/2018
A nova presidente do Instituto Cultural (IC), Mok Ian Ian, admitiu hoje, na tomada de posse, que vai enfrentar “muito stress” e “muita pressão” durante o seu mandato, mas está confiante na sua experiência na função pública.

“Sei que tenho de enfrentar muito stress, muita pressão, tanto dentro dos serviços como por parte da sociedade”, afirmou na cerimónia presidida pelo secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam.

Mok Ian Ian diz que o trabalho do Instituto Cultural está a ser escrutinado pela população e pediu tempo à sociedade.

A nova dirigente estabeleceu como prioridades a classificação dos estaleiros navais de Lai Chi Vun e o plano de salvaguarda e gestão do centro histórico.

“Hoje de manhã realizámos esta reunião do Conselho do Património Cultural. Na reunião foram falados dois documentos de consulta sobre os estaleiros navais de Lai Chi Vun e o outro sobre as medidas de gestão do centro histórico de Macau. São os trabalhos, se calhar, agora mais importantes”, disse.

Mok Ian Ian afirmou também que “em cada sociedade este conflito entre a conservação e o desenvolvimento existe quase sempre”.

“É um conflito, mas também, por outro lado a cidade precisa de desenvolver-se”, afirmou, observando que o objectivo “é tentar atingir este equilíbrio entre o desenvolvimento e a conservação”.

Mok Ian Ian apontou ainda a necessidade de fazer “um bom trabalho” na protecção do património cultural. “Um dos trabalhos mais importantes para o ano é o centro de intercâmbio cultural entre a China e os países de língua portuguesa”, acrescentou.

Mok Ian Ian substitui Cecília Tse, que esteve em funções cerca de mês e meio, e a maior parte desse tempo de baixa, acabando por se demitir no final de Janeiro por motivos de saúde.

Em 2017, o Instituto Cultural passou por três presidentes. Cecília Tse sucedeu a Leung Hio Ming, que em Fevereiro substituiu Ung Vai Meng.

Questionada sobre o impacto do período de instabilidade no Instituto Cultural, a dirigente disse apenas que “não vai entrar em conflito directamente” e que vai privilegiar “o diálogo”.

Mok Ian Ian já trabalhou no Instituto Cultural e foi membro do Conselho de Administração do Fundo das Indústrias Culturais entre 2015 e 2017.

Na cerimónia desta manhã, o secretário Alexis Tam voltou a destacar a vasta experiência na função pública e o trabalho realizado na área cultural.

“Claro que ainda temos grandes expectativas em Mok Ian Ian. (...) Como já tinha dito várias vezes, a protecção do património é um dos trabalhos prioritários da área da cultura. Temos de iniciar ainda mais trabalhos e não só, temos de sensibilizar ainda mais a população para que quer seja os patrimónios culturais tangíveis e intangíveis possam ser protegidos. E esta é uma missão importante da nova presidente”, afirmou Alexis Tam.

Fátima Valente