Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Angola pondera encerrar consulado em Macau
Domingo, 21/01/2018
Onze anos depois de ter aberto as portas, o consulado-geral de Angola em Macau está em vias de encerrar.

A possibilidade é admitida pelo governo de Luanda, que estuda a hipótese de acabar com nove embaixadas e 18 consulados-gerais, incluindo em Macau, Lisboa e Faro, de acordo com documentos a que a agência Lusa teve acesso.

Além de Macau, é proposto também o encerramento dos consulados-gerais em Cantão e Hong Kong.

Nos planos do executivo angolano está ainda o encerramento de 10 representações comerciais, incluindo em Portugal.

De acordo com a agência Lusa, o objectivo é poupar mais de 66 milhões de dólares.

A informação consta de uma proposta entregue este mês ao Ministério das Relações Exteriores.

No documento, é avançado, como primeira medida, o encerramento de várias embaixadas, incluindo em Singapura e Indonésia, Vietname, Holanda, e também no México, entre outros países.

A segunda medida envolve o encerramento de 18 missões consulares e a consequente transformação em sector consular junto da missão diplomática ou seja, embaixadas.

No documento a que a agências de notícias portuguesa teve acesso, alega-se que “não se justifica” a manutenção de consulados gerais instalados em capitais dos países onde existem missões diplomáticas.

As medidas implicam o corte no pessoal afecto às missões diplomáticas.

Sobre o património imobiliário do Estado angolano “nos países ou cidades onde serão encerradas missões diplomáticas ou consulares”, é sugerida a adjudicação “à gestão de empresas privadas de direito angolano”, o que deverá ser feito “mediante concurso público”.

De portas abertas desde 2007, o Consulado-Geral de Angola em Macau, de acordo com o Jornal Tribuna de Macau, tem registados cerca de meia centena de angolanos residentes no território.

Segundo as informações disponibilizadas na página electrónica da missão, o Consulado-Geral de Angola em Macau tem actualmente 16 funcionários, incluindo a consulesa-geral Sofia Pegado da Silva.

A terceira e última representação consular angolana a abrir na China foi em Cantão, em Abril de 2016.

Na cerimónia de Abertura do Consulado-Geral angolano em Macau, o então secretário-geral do Ministério dos Assuntos Externos de Angola, Manuel Gomes dos Santos, disse que a criação de um consulado-geral “marca uma aproximação entre Angola e a China e consolida o que antes eram apenas meras intenções”.

Hugo Pinto