Em destaque

7 de Dezembro 2018: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1967 patacas e 1.1377 dólares norte-americanos.

UM tenta reconhecimento de curso de Direito ainda este ano
Terça, 02/01/2018
A Universidade de Macau quer que o curso de Direito em língua portuguesa volte, em breve, a ser reconhecido por Portugal. Num cenário optimista, o objectivo é formalizar o pedido ainda este ano.

“Pode ser uma hipótese nos próximos meses porque já inclui isto no nosso plano [de desenvolvimento da faculdade] e já discuti várias vezes este assunto com a reitoria”, afirma o director da Faculdade de Direito, Gabriel Tong, em declarações à TDM – Rádio Macau.

A avaliação e eventual reconhecimento do curso vão ser feitos pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, criada em 2007 pelo Estado Português – à semelhança do que acontece já com cursos do Instituto Politécnico.

Gabriel Tong esteve já em Portugal para saber o que é preciso fazer para o curso ser reconhecido. “Há algumas dificuldades, mas o nosso objectivo é firme”, comenta.

O programa curricular e a equipa docente são alguns dos pontos em avaliação por Portugal. Do lado de Macau, há expectativas: “Há espaço para nós. Estruturalmente, não temos muita coisa para alterar. Mas há requisitos relacionados, por exemplo, com o corpo docente que não sei se conseguimos cumprir num tempo muito curto. Mas já inclui esta questão no nosso plano”, refere Tong.

O curso de Direito de Macau em português deixou de ser reconhecido de forma automática por Portugal em 2015, após mudanças no programa de estudos.


Sónia Nunes