Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Wong Sio Chak defende sanções mais pesadas para taxistas
Terça, 21/11/2017

O secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, reconheceu hoje dificuldades no combate às infracções cometidas por taxistas e defendeu a necessidade de se estudarem sanções mais pesadas para dissuadir a prática de irregularidades.

 

De acordo com os dados apresentados hoje pelo governante, nos primeiros nove meses do ano foram detectados 3.781 casos de ilegalidades relacionadas com taxistas ou transporte ilegal, o que representou um aumento anual de 24,5 por cento. A maioria dos casos – 57,3 por cento – diz respeito a cobranças excessivas nos serviços de táxis. Já 27,6 por cento dos casos estão relacionados com a recusa em transportar passageiros.

 

“Claro que este não é o resultado que esperávamos”, afirmou Wong Sio Chak, numa conferência de imprensa sobre o balanço da criminalidade. O secretário referiu que a tendência poderá estar relacionada com a leveza das sanções ou com “a demora dos procedimentos”.

 

A título de exemplo, o responsável lembrou que as sanções previstas não incluem o “cancelamento da licença de táxi”. “Isto também é uma das medidas que podemos tomar no futuro. Claro que este não é um trabalho do CPSP [Corpo de Polícia de Segurança Pública], mas no futuro vamos coordenar isto e transmitir estes casos junto das entidades competentes para ver o que podemos fazer e reforçar as medidas de combate”, declarou, salientando ainda que a fiscalização destes casos é “perigosa” para os agentes policiais que actuam à paisana.

 

A intenção do Governo de rever o Regulamento do Transporte de Passageiros em Automóveis Ligeiros de Aluguer ou Táxis tem gerado polémica no sector. No mês passado, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego reiterou ter sido concluída a proposta de revisão do regulamento, adiantando que o mesmo “sugere o agravamento da punição dos actos ilegais, bem como a introdução de instalações electrónicas para reforçar a fiscalização”. O diploma não foi ainda entregue à Assembleia Legislativa.

 

Ainda de acordo com Wong Sio Chak, entre Janeiro e Setembro deste ano, a polícia registou 1.158 casos de prestação de serviços de transporte em veículos privados.

 

Sofia Jesus