Em destaque

17 de Novembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5413 patacas e 1.1806 dólares norte-americanos.

Coutinho: “Isto de rever, planear, ouvir – estamos fartos”
Terça, 14/11/2017

As Linhas de Acção Governativa para 2018, apresentadas esta tarde pelo Chefe do Executivo, são “uma decepção”. A avaliação é feita pelo deputado José Pereira Coutinho, que assume também a presidência da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau.

 

“Isto de rever, planear, ouvir, consultar – estamos fartos. Estamos cá há 17 anos e estamos fartos disto. Decepciona a questão da habitação, a questão da saúde e não sabemos quando é que vamos ter o novo hospital nas Ilhas”, enumera Pereira Coutinho. “Faltam dois anos para o Chefe do Executivo terminar o mandato. Devia ser mais especifico, mais rigoroso  em termos de calendarização, e mais humano”, entende.

 

Uma das críticas do deputado tem que ver com a actualização dos salários e pensões função pública. Chui Sai On confirmou um aumento de 2,40 por cento – abaixo dos seis por cento proposto pela ATFPM.

 

Pereira Coutinho aponta ainda que, com a actualização proposta pelo Chefe do Executivo, o subsídio de nascimento para os funcionários públicos será inferior ao da população em geral.  “O que eu pergunto agora é se os funcionários públicos podem optar pelo subsídio de nascimento proposto para 2018 de 5 mil patacas. Se multiplicarmos 85 vezes 45 não chega às cinco mil patacas. Anda à volta das três mil e tal patacas”, lança.

 

Numa nota positiva, Pereira Coutinho destaca a intenção do Governo de rever o regime de responsabilização dos titulares dos principais cargos. 

 

Sónia Nunes