Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Comissão de Finanças Públicas vai permanecer fechada
Quarta, 01/11/2017

As reuniões da Comissão de Acompanhamento para os Assuntos de Finanças Públicas da Assembleia Legislativa vão continuar fechadas ao público. A garantia foi dada pelo presidente da comissão, Mak Soi Kun.

 

No final da reunião que serviu para definir a programação dos trabalhos do novo mandato, Mak Soi Kun revelou nenhum dos deputados presentes abordou a questão.

 

"Não discutimos ponto por ponto, mas sim as regras na sua globalidade. Ninguém disse ou propôs comissão aberta, por isso, ela vai ser fechada ao público durante este mandato", disse Mak Soi Kun.

 

As comissões abertas ao público têm sido um dos temas em debate na Assembleia Legislativa. No grupo presidido por Mak Soi Kun surge, por exemplo, o deputado Ng Kuok Cheong, que se manifestou a favor da abertura das comissões permanentes.

 

Na mesma conferência o presidente da Comissão de Acompanhamento para os Assuntos de Finanças Públicas disse que o grupo de trabalho quer saber, da parte do Governo, se a taxa de retorno das aplicações financeiras das reservas cambiais tem subido. A maioria das aplicações de fundos públicos é feita pela Autoridade Monetária e 20 por cento está entregue a empresas privadas de gestão de fundos.

 

Mak Soi Kun disse aos jornalistas que o grupo quer esclarecer o ponto de situação das reservas, em comparação com 2016.

 

O deputado diz que os valores praticados "não acompanham a taxa de inflação de 2,2 por cento".

 

"O assunto gerou preocupação na Assembleia Legislativa, por isso temos prestado acompanhamento. Como é que são seleccionadas as empresas gestoras? É solicitado um parecer a uma consultadoria? Isto são fundos públicos. Temos de fiscalizar. Precisamos de saber qual vai ser a taxa de retorno, porque estamos quase no fim do ano. Basta um por cento de aumento e atinge logo 4 mil milhões. Com esse dinheiro é possível resolver muitos problemas sociais", esclareceu Mak Soi Kun.

 

João Picanço