Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Conselho do Trânsito pede aumento de tarifas em autocarros
Sexta, 29/09/2017

É o primeiro aumento em dez anos. Se a proposta do Conselho Consultivo do Trânsito for aceite, prevêem-se algumas novidades.

 

A proposta inclui uma tarifa mais baixa para residentes na compra do Macau Pass. As tarifas passam também a ser únicas, ou seja, ir de Macau a Coloane, por exemplo, vai custar o mesmo que uma viagem apenas na península.

 

Para além disso, o conselho quer um novo tipo de carreira, com percursos mais rápidos. Aqui, o preço será mais elevado do que as carreiras normais.

 

O director dos serviços de tráfego, Lam Hin San, explica que este é um serviço público e quem é residente tem de ter algum benefício.

 

"O serviço tem de beneficiar os residentes, pois trata-se de um recurso público. É mais justo para os cidadãos", disse Lam Hin San depois da reunião.

 

As tarifas no Macau Pass actualmente variam entre as duas e as três patacas, consoante as zonas, e entre 2,8 e 6,4 patacas para o pagamento das viagens em numerário.

 

A proposta pede um aumento para os residentes para as três patacas na nova carreira normal e para quatro patacas na carreira rápida. Os não-residentes podem vir a pagar quatro ou cinco patacas de tarifa, consoante a carreira que utilizem. O pagamento em numerário ficará pautado nas seis patacas em qualquer circunstância.

 

"O dinheiro que vamos poupar vai permitir que melhoremos o serviço. Queremos investir em alguns autocarros com mais lugares, para assim facilitar a vida dos passageiros", acrescentou o director.

 

Os autocarros de Macau transportam em média 570 mil passageiros por dia. Lam Hin San diz que a previsão a médio prazo é que se chegue aos 600 mil. Por isso, diz Lam Hin San, "é necessário investir em autocarros com mais lugares".

 

São também propostas mudanças e aumentos nos preços para estudantes e idosos. A tarifa para idosos está actualmente nos 30 avos e para estudantes cifra-se em uma pataca.

 

A ideia do Conselho passa por diferenciar os estudantes locais a pagarem uma pataca e meia na carreira normal e duas patacas na carreira rápida. Estes estudantes, aos domingos, feriados obrigatórios e Agosto usufruem de tarifas iguais às dos residentes.

 

Os estudantes do exterior de Macau vão pagar entre duas a duas patacas e meia. Nos domingos, feriados e mês de Agosto as tarifas são as mesmas dos não-residentes.

 

Para os idosos, o pagamento acontece apenas entre as oito e as nove da manhã e as 18 e as 19, ou seja, as horas de ponta. Uma pataca e meia e duas patacas consoante as carreiras. Todos os outros horários são gratuitos.

 

A proposta vai ser alvo de uma consulta pública.

 

João Picanço