Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e de Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 29/09/2017

O Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau marca as primeiras páginas dos jornais publicados esta sexta-feira no território.

 

Jornais e rádio de Macau em língua chinesa

Os jornais Ou Mun e Va Kio escolhem o mesmo destaque para a edição desta sexta-feira: o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, que lista oito objectivos chave, 33 estratégias e 91 planos de acção a implementar no futuro.

 

Já o canal em chinês da Rádio Macau destaca a participação de Wong Kit Cheng no programa Fórum – a deputada reeleita promete continuar os trabalhos de fiscalização. A Ou Mun Tin Toi noticia também o caso de uma farmácia que vendeu leite em pó que tinha sido afectado pelas inundações do tufão Hato – é um caso que está a ser acompanhado pelos Serviços de Saúde.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

“Falta de recursos humanos ‘ameaça’ turismo”, escreve o Jornal Tribuna de Macau, em manchete, a propósito do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau. O JTM destaca também “o patriotismo da nova geração”, a propósito dos 68 anos da República Popular da China, que se assinalam no domingo.

 

O Ponto Final escreve em manchete “Desaforo, dizem elas”. Em causa o facto de a nova Assembleia Legislativa contar apenas com seis mulheres. Rita Santos, conselheira das comunidades portuguesas, defende um sistema de quotas. O turismo também marca a primeira do jornal, com o título “Crónica de uma multidão anunciada”.

 

O turismo “A rebentar” dita a manchete do Hoje Macau, que lembra que Macau recebeu em 2016 quase tantos visitantes como Barcelona e que o Governo estima “que os números disparem para 40 milhões em 2025”. Em grande plano, nesta edição, estão as “Parcas licenças”, a propósito das alterações propostas pelo Governo em relação à licença de paternidade.

 

“Trabalho mais flexível na cidade que não dorme”, escreve hoje o Plataforma, acrescentando que a proposta legislativa em consulta pública “é vista como um recuo com melhorias diminutas”. O semanário destaca também uma entrevista a Melinda Chan, que afirma: “Macau já não quer uma mudança de passos, quer dar um salto”.

 

O semanário católico O Clarim escreve na primeira página “Liberdade religiosa segue uma longa marcha”, a propósito do Dia Nacional da República Popular da China. O jornal destaca também a nomeação de Wu Chou Kit para a Assembleia Legislativa, escrevendo que o “novo deputado é membro da comissão diocesana de infra-estruturas”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

O Macau Daily Times escreve, em manchete, que “Macau pode ter 40 milhões de turistas até 2025”, numa referência ao plano geral para o turismo. Destaque também para a China, que “ordena o encerramento da maioria das empresas detidas por norte-coreanos”.

 

O Macau Post Daily também destaca o plano geral do turismo, que prevê “até 40 milhões de visitantes” em 2025. Ainda na primeira, o caso de uma criança que atingiu a tiro colegas numa creche do Michigan.

 

O regime de part-time está a “intrigar” a sociedade e “ninguém parece feliz com a nova [proposta de] legislação laboral”, escreve hoje o Business Daily. O jornal económico destaca também o plano geral para o sector do turismo, que reflecte sobre questões como “turistas de qualidade, a integração da cidade na Zona da Grande Baía, e na promoção de trabalhadores locais a postos mais elevados”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post escreve hoje que Xi Jinping procura “colegas de confiança”. O jornal cita fontes que indicam que “é quase certo” que Li Keqiang se irá manter como primeiro-ministro, ao mesmo tempo que o presidente “cimenta o seu estatuto a par de Mao Zedong e Deng Xiaoping”.

 

“Abe junta-se a gala da embaixada chinesa”, escreve o China Daily. “O primeiro-ministro japonês é o primeiro em 15 anos a marcar pessoalmente a implantação da República Popular da China e a normalização das relações”, explica o jornal oficial. Noutro destaque, “Pequim espera uma boa visita de Trump”.

 

O Standard – que publica apenas publicidade na primeira página – destaca na secção local de hoje uma investigação aos planos do Governo para instalações destinadas a veículos eléctricos.

 

Sofia Jesus