Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Nomeados: Larry So destaca “boa decisão” de Chui Sai On
Quarta, 27/09/2017

O comentador político Larry So considera que o Chefe do Executivo, Chui Sai On, tomou uma “boa decisão” ao privilegiar académicos e profissionais de gerações mais novas na escolha dos sete deputados nomeados anunciados hoje.

 

Em declarações à TDM – Rádio Macau, Larry So, ex-professor da Escola de Administração Pública do Instituto Politécnico de Macau, destacou que os nomes apresentados por Chui Sai On “não pertencem ao sector empresarial, fazem parte de uma geração mais nova e são profissionais”.

 

O analista lembrou que, depois dos resultados das eleições, “comentou-se que os nomeados deveriam ser oriundos da academia, profissionais e da área do Direito”, algo que Larry So defende, para que, “no futuro, a legislação possa ser cada vez mais científica e profissional”.

 

Nesse sentido, o académico entende que o Chefe do Executivo tomou “uma boa decisão”.

 

Numa ordem executiva publicada em Boletim Oficial, Chui Sai On nomeou Pang Chuan, Wu Chou Kit, Joey Lao, Davis Fong, Iau Teng Pio e Chan Wa Keong, tendo reconduzido ainda Ma Chi Seng, o único repetente nas nomeações em relação à anterior legislatura.

 

Os sete nomeados, todos homens, têm uma média de idades de 45 anos.

 

O mais velho é Iau Teng Pio (53 anos) e o mais novo Ma Chi Seng (39 anos). Contrariamente a 2013, quando que a maior parte dos nomeados estava ligada aos negócios, desta vez, a maioria dos escolhidos vem do mundo académico.

 

Para Larry So, o perfil da maioria dos deputados agora nomeados por Chui Sai On faz sentido, sobretudo, tendo em conta que no horizonte há importantes revisões da lei, nomeadamente na área do jogo: “O Governo vai rever a lei do jogo e as concessões. Ao ter deputados da área do Direito, bem como Davis Fong, do Instituto de Estudos sobre a Indústria de Jogo da Universidade de Macau, o Governo está a ter uma visão mais científica e mais investigação nesta área, para que, no futuro, quando as concessões forem revistas, o Governo tenha mais bases para que todo esse processo seja mais científico. A área do Direito deve estar mais representada na Assembleia Legislativa”.

 

Hugo Pinto