Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Poluentes em níveis “gritantes” no último fim-de-semana
Quarta, 20/09/2017

Os níveis de ozono e de materiais particulados (como PM 2.5 e PM 10) atingiram valores quatro vezes superiores às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), no último fim-de-semana. A análise é feita por Ágata Dias, do Instituto para as Ciências e Ambiente da Universidade de São José.

 

A académica confirma que domingo foi o pior dia do ano, com níveis “gritantes”. “Foi um fim-de-semana em que o ozono e as partículas atingiram valores quatro vezes aquilo que deve ser respirável. O ozono atingiu valores que, nos meus dados, não foram atingidos, nos últimos quatro anos”, afirma Ágata Dias, em declarações à TDM – Rádio Macau.

 

Desde segunda-feira, as condições melhoraram e são já “bastante razoáveis”. “As partículas têm estado no limite e o ozono tem estado abaixo do limite”, nota a professora universitária.

 

De acordo com a análise da académica, “o ozono, só este ano, já teve dois valores extremamente perigosos. Foi a 10 de Maio e, agora, neste fim-de-semana”, indica.

 

Em breve, o principal perigo passará pela concentração das partículas PM 2.5, as mais nocivas para a saúde. Ágata Dias refere que esta situação deve prolongar-se até Março do próximo ano.

 

“O período de Inverno é mais seco, o vento dominante é de norte e a humidade cai muito. É nestas alturas em que se regista maiores concentrações dos materiais particulados, ou seja, as partículas. No caso do Verão, como temos vento dominante de sul, de mar, humidade muito grande e muita chuva, as partículas são depositadas. Sendo depositadas, limpa atmosfera e temos um ar muito mais respirável”, explica.

 

Pedro Galinha