Em destaque

26 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.0301 patacas e 1.1139 dólares norte-americanos.

Quarto deputado de Fujian "ameaça" associações tradicionais
Sexta, 15/09/2017

Mesmo com Chan Meng Kam de fora da corrida eleitoral, a manutenção dos três deputados ou mesmo a eleição de um quarto está ao alcance das listas ligadas à comunidade de Fujian. A ideia é defendida pelo professor da Universidade de Hong Kong, Eric Chong, que sustenta que tudo vai depender de uma repartição inteligente de votos entre as listas 8 e 9, de Song Pek Kei e Si Ka Lon.

 

 “Podem explorar sectores diferentes da comunidade de Fujian. Si Ka lon pode explorar mais os sectores do eleitorado mais ligado aos negócios e pró-pequim. Quanto a Song pek Kei, devido às ligações que tem ao sector social, pode captar os votos relacionados com estas áreas e outros sectores profissionais”, aponta, em entrevista à Rádio Macau.

 

A possível eleição de um quarto deputado para as forças de Fujian será, para Eric Chong, símbolo de uma mudança na realidade social que pode colocar em crise associações tradicionais de Macau, como os Moradores, as Mulheres ou os Operários.

 

“Será um feito muito significativo que foi sendo construído ao longo de muitos anos: com a constituição das associações de conterrâneos, com os emigrantes que vieram para Macau, com o trabalho de desenvolvimento de redes de contacto com estas pessoas, através dos serviços sociais prestados, através dos supermercados, através de outros benefícios”, descreve.

 

O docente, que é autor de um trabalho sobre as relações clientelares das associações de conterrâneos de Fujian e de Guangdong com seus afiliados em Macau, diz que nestas eleições será também avaliado o impacto do movimento Occupy Central e da turbulência social de Hong Kong na realidade política de Macau. 

 

Por comprovar, refere Eric Chong, está a existência de um novo eleitorado jovem e de que forma isso poderá beneficiar novos protagonistas políticos, como Sulu Sou e a nova geração da Associação Novo Macau.

 

 “Será muito interessante perceber quantos votos é que esta geração mais jovem vai alcançar. Em Hong Kong, depois do Umbrella Movement, uma nova geração entrou para a política e conseguiu ser eleita para o Conselho Legislativo. Em Macau, será interessante perceber que peso terá um eleitorado mais jovem e se vão ou não apoiar novas figuras como Sulu Sou”, refere. 

 

Com apenas duas semanas de período oficial de campanha, Eric Chong não tem dúvidas em afirmar que os deputados que se recandidatam estão na linha da frente para garantir os 14 lugares do sufrágio directo. Mas há grupos emergentes a ter em conta. Eric Chong aponta, entre outros, a lista 25 liderada por Cloee Chao, ligada a associações sindicais de trabalhadores casinos e que conseguiu, nos últimos anos, organizar protestos de grande dimensão.  

 

André Jegundo