Em destaque

22 de Novembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5027 patacas e 1.1744 dólares norte-americanos.

Dois homens tentaram introduzir vacinas cervicais na China
Quarta, 13/09/2017

Dois homens foram apanhados a tentar entrar na China na posse de 220 vacinas cervicais não declaradas, depois de terem atravessado a fronteira das Portas do Cerco.

 

De acordo com o canal em chinês da Rádio Macau, as autoridades da Alfândega de Zhuhai encontraram 220 unidades de Gardasil 9 no valor de 160 mil patacas, sendo que as vacinas, não inspeccionadas, estavam a ser transportadas em malas de viagem.

 

A emissora não refere a que medidas foram sujeitos os dois homens, que também não aparecem identificados.

 

Gardasil 9 é uma das marcas mais populares da vacina contra as nove formas de cancro cervical relacionadas com o  papiloma vírus humano (HPV, na sigla inglesa).

 

Esta marca, produzida nos Estados Unidos, existe desde 2006, mas só em Maio deste ano recebeu aprovação para venda na China, não estando ainda, todavia, disponível para comercialização, ao contrário de Macau.

 

De acordo com a imprensa oficial chinesa, a seguir ao cancro da mama, o cancro cervical é a forma mais comum de cancro entre as mulheres chinesas dos 15 aos 44 anos de idade.

 

Estatísticas do Centro Chinês para o Controlo e Prevenção de Doenças indicam que, anualmente, há registo de mais de 130 mil casos de cancro cervical na China, representando 28 por cento do número global de cancros no país.

 

Segundo o China Daily, a impossibilidade de compra de Gardasil tem levado muitas mulheres chinesas a adquirirem a vacina fora da China, nomeadamente em Hong Kong.

 

Hugo Pinto (com Tomás Chio)