Em destaque

20 de Setembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.7133 patacas e 1.2006 dólares.

Legislativas 2017: os candidatos e as propostas da lista 19
Terça, 12/09/2017

Os canais portugueses da TDM apresentam durante o período de campanha eleitoral um perfil das listas candidatas às eleições para a Assembleia Legislativa. Os candidatos e as propostas, com emissão na Rádio Macau às 9h30 e 16h, e no Canal Macau durante o Telejornal.

 

A Associação dos Cidadãos Unidos para a Construção de Macau concorre como lista 19 – uma plataforma eleitoral pró-sistema, com ligações a Fujian, à função pública e ao sector profissional, com destaque para os advogados.

 

A candidatura é liderada por Hong Weng Kuan. Tem 41 anos, é advogado com escritório na Areia Preta, foi da PSP e presidente da Associação da Polícia. Era já agente da divisão de trânsito quando decidiu tirar o curso de Direito na Universidade de Macau: trabalhava de dia; à noite estudava.

 

Hong Weng Kuan candidatou-se pela primeira vez em 2013, pela Associação de Promoção de Direitos dos Cidadãos, só oficialmente estabelecida em 2014. Para estas eleições escolheu como número dois Cheong Fan, dentista. Tem 40 anos e candidata-se pela primeira vez.

 

O número 3 é Fong Hei Meng, tem 42 anos e trabalha nos Serviços de Alfândega.

 

Nos últimos quatro anos, Hong Weng Kuan ganhou projecção nos media em chinês.  É presidente do conselho fiscal da Associação de Investigação do Sistema Jurídico de Macau  – uma organização liderada pelo advogado Chan Wa Keong, que se manifestou já contra a contratação de juízes ao exterior e defendeu também que o chinês devia ser a única língua exigida aos candidatos a juiz, até agora obrigados a dominar também o português.  

 

Hong Weng Kuan destaca-se ainda entre o grupo de advogados chineses que fez forte oposição ao protocolo com a Ordem dos Advogados de Portugal. Assumiu publicamente que levou o assunto ao Gabinete de Ligação. Além de estar contra a vinda de mais advogados portugueses, Hong defende que os cursos de direito chinês devem ser reconhecidos pela Associação dos Advogados – a única que, em Macau, regulamenta o acesso à profissão e é liderada por Jorge Neto Valente.

 

Nestas eleições, a lista volta a assumir como prioridade o combate à corrupção eleitoral no sufrágio directo.

 

O segundo ponto do programa político centra-se na habitação. A lista defende a revisão da lei de habitação económica. O objectivo é fazer com que as casas sejam revendidas ou devolvidas ao Governo assim que o proprietário comprar outra fracção no mercado privado.

 

A Associação dos Cidadãos Unidos para a Construção de Macau quer ainda alterações ao Estatuto do Pessoal Militarizado para antecipar a idade da reforma.

 

Sónia Nunes