Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Obra do metro ligeiro vai ter centro de ligação com público
Terça, 21/02/2012

Foi hoje lançada a primeira pedra da obra de construção da rede de metro ligeiro – a maior obra da RAEM, em termos de dimensão e de impacto na vida dos residentes. As obras arrancam na zona em frente ao Jockey Clube de Macau, na Taipa, onde vai surgir uma estação e um terminal de autocarros. No local vai existir também um centro de articulação entre o Governo, os empreiteiros e as associações de moradores e o público em geral.

 

“Vai haver trânsito condicionado, porque em algumas secções vamos ter de alargar os tapumes e, provavelmente, fechar uma faixa de rodagem, no sentido de quem vem do Jockey Clube em direcção à marginal e à Ponte Sai Van”, explicou o Coordenador-Adjunto do Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT), André Ritchie.

Para o secretário para os Transportes e Obras Públicas – presente na cerimónia de lançamento da primeira pedra -, o projecto do metro ligeiro, que começou em 2002, tem um significado importante para Macau, porque pode ajudar a resolver o problema dos transportes, a longo prazo. Outra vantagem, no entender de Lau Si Io, é a contribuição da obra para a integração da RAEM na região do Delta do Rio das Pérolas.

O secretário para os Transportes e Obras Públicas apelou ainda à compreensão da população face aos trabalhos. “As obras que hoje começam vão trazer inconvenientes nas vias públicas desta zona. Já fizemos trabalhos para minimizar o impacto na passagem das viaturas, colocámos em vários pontos da cidade postos de recolha das opiniões da população, para que possamos dar uma resposta rápida e possamos comunicar à população a situação do trânsito à população”, afirmou Lau Si Io.

 

Segundo André Ritchie, esta é a primeira vez que é criado um centro de interligação entre o Governo, os empreiteiros e as associações de moradores numa obra pública da RAEM. “Vai ser um local físico, nas redondezas da empreitada. Isto vai permitir termos representantes no local, sempre disponíveis, das oito da manhã às oito da noite, para receberem os comentários dos residentes e também das associações locais”, explicou, acrescentando que a medida permite uma maior agilidade para resolver com rapidez e eficiência as queixas.