Em destaque

24 de Novembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5893 patacas e 1.1857 dólares norte-americanos.

Legislativas 2017:os candidatos e as propostas da lista 6
Quarta, 06/09/2017

Os canais portugueses da TDM apresentam durante o período de campanha eleitoral um perfil das listas candidatas às eleições para a Assembleia Legislativa. Os candidatos e as propostas, com emissão na Rádio Macau às 9h30 e 16h, e no Canal Macau durante o Telejornal.

 

A lista seis é a Nova Esperança, em representação da Associação dos Trabalhadores da Função Pública (ATFPM). São onze candidatos, mais uma vez liderados por José Pereira Coutinho, com uma agenda pró-sindical e pró-democracia.

 

Pereira Coutinho lidera a ATFPM desde 1998. Em 2001, foi candidato pela primeira vez pela associação, sem sucesso. Só conseguiu ser eleito em 2005 e já cumpriu três mandatos de deputado consecutivos. Foi funcionário público nos Serviços de Economia e secretário-geral no Centro de Arbitragem do World Trade Center. É também conselheiro das Comunidades Portuguesas.

 

O número dois da lista é Leong Veng Chai. Está reformado, depois de ter trabalhado no estabelecimento prisional de Macau, onde foi guarda e, no fim da carreira, Comissário Prisional. Faz parte da ATFPM desde a fundação, em 1987 e, neste momento, é vice-presidente da associação. Foi eleito deputado em 2013, quando a Nova Esperança conseguiu, pela primeira vez, dois mandatos.

 

O terceiro lugar desta lista é ocupado por Mónica Tang, que se candidata pela primeira vez. Tang é empresária – uma das quatro que fazem parte desta lista.

 

A Nova Esperança está ligada aos funcionários públicos, através da ATFPM, apesar de, há dez anos, a associação ter-se aberto a outros trabalhadores. É também a lista com mais candidatos falantes de português e a única com um cabeça de lista luso-descendente, o que já tinha acontecido nas eleições anteriores.

 

Há dois anos, Pereira Coutinho candidatou-se também ao parlamento português. A iniciativa não agradou às autoridades e, por isso, na nova lei eleitoral estabelece-se que os deputados passam a estar proibidos de assumir cargos políticos noutros países.

 

A defesa e difusão da língua portuguesa estão entre as prioridades do programa eleitoral. A lista também defende a responsabilização dos titulares dos principais cargos e a abertura das comissões da Assembleia Legislativa ao público e aos media. O terceiro ponto do programa diz respeito à habitação, com a construção de 80 mil fracções públicas.

 

A Nova Esperança decidiu manter uma lista única, uma estratégia diferente de outras candidaturas que se estão a dividir para contornar os limites do método de apuramento. Pereira Coutinho mostrou-se pouco confiante em ser reeleito, justamente devido ao grande número de candidaturas.

 

Lina Ferreira